cidade cinza

Madrugada em São Paulo tem ação da polícia contra pichadores

Prisões ocorrem em meio a protestos e críticas à administração do prefeito João Doria por ter apagado grandes murais e grafites na cidade

reprodução facebook
doria apaga.jpg

Doria veste uniforme da prefeitura para apagar grafites na av. 23 de Maio: imagem de não esquecer

São Paulo – Doze pichadores foram detidos em flagrante na madrugada deste sábado (28) pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) na capital paulista. As prisões ocorrem em meio a protestos e críticas à administração do prefeito João Doria por ter apagado grandes murais e grafites na cidade. Desde o começo do mês, foram detidos 26 pichadores.

Segundo a GCM, seis pessoas foram detidas em flagrante por pichação a um edifício na esquina das avenidas São João e Duque de Caxias, por volta da 1h deste sábado. Eles foram conduzidos ao 2° Distrito Policial e liberados em seguida. Outro grupo de seis menores de idade foi detido às 6h pichando estabelecimentos comerciais na Rua Estela, na Vila Mariana. Eles foram conduzidos ao 27º Distrito Policial e também liberados.

Ontem (27) também foi preso e depois liberado o grafiteiro Mauro Neri da Silva, que pertence ao coletivo Imargem, do Grajaú, zona sul de São Paulo. O grafiteiro foi detido na delegacia de crimes ambientais (Avenida São João, 1.247, centro). Neri foi abordado pela polícia depois de apagar a tinta que a prefeitura havia jogado sobre a sua obra, em pilastra de concreto no Complexo Viário João Jorge Saad (Cebolinha), na zona sul.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o grafite de Neri havia sido autorizado por edital do projeto Cartografitti, da Secretaria Municipal de Cultura. Esse projeto foi concebido pela gestão de Gilberto Kassab e realizado pelo então prefeito Fernando Haddad.

As ações do prefeito Doria contra os grafites e as pichações surgiram com o projeto “Cidade Linda”. Em diversos pontos da cidade, pichadores deixaram recados ao prefeito, criticando às ações do programa, que cobriu uma extensa área de grafite na Avenida 23 de Maio.

Em entrevista na última quinta-feira (26), Doria destacou que a prefeitura vai combater os pichadores. “Nós não vamos admitir a presença de pichadores. Respeitaremos os muralistas e grafiteiros. Se eles pensam que com ataques, com pichações, vão inibir a ação do prefeito, ao contrário, a perseverança só aumenta para defender a cidade”, disse.

Com informações da Agência Brasil.