reação

Boulos: ‘vidraças da Fiesp não representam mais do que o dano que ela causa ao povo’

jornalistaslivres / reprodução Rojões lançados contra a Fiesp durante protesto pela aprovação da PEC 55 pelo Senado: patrocinadora do golpe São Paulo – Guilherme Boulos, coordenador do MTST (Movimento dos […]

jornalistaslivres / reprodução
Fiesp_explode.jpg

Rojões lançados contra a Fiesp durante protesto pela aprovação da PEC 55 pelo Senado: patrocinadora do golpe

São Paulo – Guilherme Boulos, coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) e da Frente Povo Sem Medo, que luta contra a perda de direitos imposta pelo governo de Michel comentou a ação no prédio na Fiesp, ontem (12), durante protesto contra a aprovação final da PEC 55 pelo Senado.

Quando a passeata se dirigia para o cruzamento entre as avenidas Paulista e Brigadeiro Luis Antonio, um grupo de ativistas protestou em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com fogos de artifício e pichações com a palavra “golpista” para denunciar a participação daquele sindicato patronal no processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em agosto deste ano. Algumas vidraças foram quebradas e pontos do portão do prédio foi danificado.

“A questão é que as pessoas se indignam também! Foi um ato de indignação de algumas pessoas vendo ali um símbolo que representa o retrocesso no país, que patrocinou essa PEC, que se coloca contra a corrupção, mas que está envolvida em esquemas de corrupção. Então eu reitero: eu não acho que algumas vidraças quebradas na Fiesp representam mais do que o dano que a Fiesp causa ao povo brasileiro!”