história

Em aniversário do Memorial da Democracia, apreensão com momento político

Reprodução/Instituto Lula São Paulo – Ao completar um ano neste mês, o Memorial da Democracia foi tema de importantes depoimentos nas redes sociais, enfatizando o momento político em que a […]

Reprodução/Instituto Lula
memorial da democracia.png

São Paulo – Ao completar um ano neste mês, o Memorial da Democracia foi tema de importantes depoimentos nas redes sociais, enfatizando o momento político em que a democracia está atacada e muitos direitos estão ameaçados. O museu virtual foi produzido pelo Instituto Lula com o objetivo de contribuir para o resgate da memória das lutas populares pela democracia, igualdade e justiça social.

Um ano atrás, quando a conjuntura política revelava um movimento criado para desestabilizar o governo da presidenta Dilma Rousseff, o memorial já destacava que ao longo da nossa história, o povo aprendeu a duras penas que a democracia não cai do céu. “Tampouco é uma oferenda dos poderosos. Ao contrário, ela é uma conquista das brasileiras e dos brasileiros que precisa ser permanentemente defendida, respeitada e aprofundada por todos nós. Ela é essencial para que a voz de todos se faça ouvir e os interesses das grandes maiorias sejam levados em conta na sociedade.”

Confira alguns depoimentos

Franklin Martins – jornalista

O atual cenário político reforça a importância do Memorial. “A democracia nunca caiu do céu. Os direitos do povo sempre foram fruto de muita luta e sempre tiveram adversários muito poderosos. Foi lutando que chegamos até onde estamos e é lutando que vamos muito mais longe”, sustenta.

Fernando Morais -escritor e jornalista

Acredita que conhecer o passado é fundamental para compreender os recentes acontecimentos políticos. “Não deixa de ser uma ironia do destino que no dia do aniversário do #MemorialDaDemocracia o Brasil passe a viver seu primeiro dia sem democracia desde a ditadura militar”

Marcia Tiburi – folósofa e escritora

Para ela, é hora de renovar a convicção de que a democracia é uma conquista diária, responsabilidade de cada um e cada uma de nós. “Este é um momento superimportante de nos engajarmos na reflexão, no sentimento, nos afetos que estão envolvidos na democracia. Neste momento, a democracia brasileira sofreu um golpe pesadíssimo, um golpe de Estado, midiático, legislativo, executivo, judiciário. Um golpe corporativo. Um golpe que afeta nossa existência.

Edgard Scandurra – guitarrista, cantos e compositor

“A democracia vive sempre correndo riscos no Brasil, por isso, é fundamental um Memorial que conte a história da democracia brasileira para todos nós e para as próximas gerações.”

A vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) Tamires Gomes, mandou seu recado diretamente das ruas onde protestava pela democracia para denunciar o golpe no Brasil.

Navegar é preciso. Quem navega pelo museu virtual encontra documentos, reproduções de notícias, vídeos, fotos e textos com uma linguagem simples e informativa. Atualmente, estão disponíveis conteúdos relacionados ao período que vai de 1964 a 2002. Novas linhas do tempo serão lançadas em outubro.