Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2016 / 09 / Frentes contra o golpe mantêm manifestação na Avenida Paulista no domingo

contra o golpe

Frentes contra o golpe mantêm manifestação na Avenida Paulista no domingo

Organizações alteraram horário e local de concentração, afirmando que não pretendem prejudicar o evento da passagem da Tocha Paralímpica, mas que exercerão o direito constitucional de se manifestar
por Redação RBA publicado 02/09/2016 13h25, última modificação 02/09/2016 14h15
Organizações alteraram horário e local de concentração, afirmando que não pretendem prejudicar o evento da passagem da Tocha Paralímpica, mas que exercerão o direito constitucional de se manifestar
CUT
atos

Manifestantes contra o golpe devem ocupar a Avenida Paulista neste domingo, sob convocação das frentes

São Paulo – As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo emitiram comunicado conjunto confirmando que vão realizar a manifestação marcada para domingo (4), na Avenida Paulista, região central de São Paulo. Os movimentos sociais e centrais sindicais que compõem as frentes rechaçaram a posição da Secretaria de Segurança Pública (SSP) paulista, que emitiu nota na tarde de ontem (1º), comunicando que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia proibido o protesto.

"Não entendemos que caiba à Secretaria de Segurança ou à Polícia 'permitir' ou não uma manifestação popular. A Constituição nos assegura este direito", afirmam as entidades. A justificativa da SSP é que já está agendado para o local a passagem da Tocha Paralímpica, no mesmo horário da manifestação: 14h.

As frentes garantiram que não pretendem prejudicar a passagem da tocha e que receberam a informação de que o horário do evento na Avenida Paulista será das 13h às 14h10. Por isso, remarcaram a concentração do protesto para as 15h, na frente do Masp e não mais na Praça do Ciclista.

"Esta é uma decisão razoável que busca conciliar os dois eventos e evitar conflitos. Informaremos ainda hoje a alteração para a SSP. Não pretendemos qualquer conflito e esperamos que a PM tenha o equilíbrio necessário para lidar com o evento, garantindo a liberdade de manifestação. Reiteramos que não iremos impedir nem prejudicar a passagem da tocha Paralímpica", afirmam as organizações. Nas redes sociais, 30 mil pessoas confirmaram participação no ato.