Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2016 / 05 / Manifestantes fecham parte da Avenida Paulista e pedem saída de Temer

contra o golpe

Manifestantes fecham parte da Avenida Paulista e pedem saída de Temer

Eles também pedem a prisão do ministro licenciado Romero Jucá e criticam as medidas econômicas anunciadas pelo governo federal
por Bruno Bocchini, da Agência Brasil publicado 25/05/2016 19h49, última modificação 26/05/2016 10h24
Eles também pedem a prisão do ministro licenciado Romero Jucá e criticam as medidas econômicas anunciadas pelo governo federal
José Eduardo Bernardes/Brasil de Fato
paulistzen.jpg

Segundo a organização, há mais de 4 mil pessoas nas ruas de São Paulo

São Paulo – Movimentos sociais da Frente Brasil Popular iniciaram uma manifestação por volta das 18h de hoje (25) no vão Livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) pedindo a saída do presidente interino Michel Temer. Os manifestantes também pedem a prisão do ministro licenciado Romero Jucá e criticam as medidas econômicas anunciadas ontem (24) pelo governo federal. Segundo a organização, há mais de 4 mil pessoas no ato.

Além da Central dos Movimentos Populares, participam do protesto militantes do Levante Popular da Juventude, do PT, Marcha Mundial das Mulheres e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). Os manifestantes interromperam quatro das oito faixas da Avenida Paulista e pretendem se deslocar no sentido centro da cidade.

“O mote nosso é não ao golpe, fora Temer e nenhum direito a menos. O governo Temer, provisório, interino, está aplicando uma receita neoliberal. Haja vista ontem os anúncios, de desvinculação de despesas e anúncio de eliminação de programas sociais”, disse o coordenador geral da Central de Movimentos Populares (CMP), Raimundo Bomfim.

Programa

“É o programa mais neoliberal e conservador do século 21 no Brasil. O presidente Temer pede pacificação, pede trégua, mas, de outro lado, apresenta um projeto que terá reação da sociedade civil organizada, principalmente dos trabalhadores”, acrescentou.

Segundo o coordenador da CMP, as mobilizações contra Temer nas ruas deverão aumentar a partir de agora, em razão da divulgação das gravações do ministro licenciado Romero Jucá. Uma grande manifestação está agendada para o próximo dia 10, quando os movimentos populares esperam a presença de mais de 100 mil pessoas na Avenida Paulista.

O jornal Folha de S.Paulo publicou ontem reportagem mostrando que, em conversas gravadas em março, Romero Jucá sugeriu ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, um pacto para impedir o avanço da Operação Lava Jato sobre o PMDB, partido do ministro. O pacto envolvia o afastamento da presidenta Dilma Rousseff.

registrado em: , , , ,