Atrás da Pedra

Resistência dos índios Guarani Mbyá em São Paulo vira documentário

Material disponível na internet traça um panorama da luta dos indígenas Guarani por demarcação de suas terras na região do Jaraguá, zona noroeste da capital paulista

reprodução/yt/thiago carvalho
guarani.jpg

Tupã Mirim: “Todo o território Guarani, para nós, é sagrado (…) a terra que chamamos de Yvy Rupa”

São Paulo – “A gente foi expulso muitas vezes no nosso território. Hoje não vamos aceitar. A gente vai resistir e vai permanecer. Guarani vai resistir, vai continuar, porque nossa força é nossa terra.” As palavras de David Karai Popygua, líder indígena da aldeia Tekoa Guarani, situada na zona noroeste da capital paulista – próxima ao Parque Estadual do Jaraguá – abrem o documentário Atrás da Pedra, Resistência Tekoa Guarani (Brasil, 2015).

Com a direção do fotojornalista Thiago Carvalho, o conteúdo do material envolve a questão central dos povos indígenas em todo o Brasil: a luta por território. Das três aldeias que formam o complexo tradicional no Jaraguá, Tekoa Itakupe, Tekoa Pyau e Tekoa Ytu, duas ainda aguardam demarcação. Apenas a Tekoa Ytu possui tal regulamentação por parte do governo federal.

Com depoimentos de diversas lideranças indígenas, o documentário se preocupa, ao longo de seus 30 minutos de duração, com a construção da ideia da terra no imaginário cultural do povo Guarani Mbyá. Antonio Tito Costa, ex-prefeito de São Bernardo do Campo que reivindica as terras, também é ouvido.

“Essa propriedade em tempos idos, lá por 1920, pertenceu à família Azurza e meu sogro adquiriu as terras em 1947. Ele, Ricardo Nunes Garcia e seu sócio Manuel da Conceição Esteves. Surgiu uma amolação neste ano, com a entrada dos índios lá”, afirma o ex-prefeito que, aparentemente, vê o ano de aquisição das terras, 1947, como uma data mais ancestral do que a presença do povo Guarani Mbya na floresta tropical Atlântica.

RBAexprefeito.jpg
Antônio Tito Costa: ‘Os índios não tem vida lá’

“Pra que o índio quer tanto a terra? O índio depende da terra para sobreviver. E não se fala em terra, pois quando se fala em terra, temos a impressão de um lote, algo pequeno. É importante o território indígena”, argumenta o cacique, Karai, da aldeia Tekoa Itakupe. “A terra é nossa mãe e, é dali que verdadeiramente o índio nasce e se cria. Com a natureza, ele tem a sua verdadeira cultura”, conclui.

O ex-prefeito reivindica que nunca houv índios na região, algo contestado pela Fundação Nacional do Índio (Funai), que atestou a presença indígena no local através de estudos antropológicos. Em junho, o ministro da pasta da Justiça, José Eduardo Cardozo, assinou uma Portaria Declaratória reconhecendo as aldeias do Jaraguá como terra guarani. Resta, enfim, a assinatura do Executivo para a demarcação oficial do território.

“Nossa luta é para que haja garantia do direito à terra. É dela que vamos conseguir fortalecer nossa cultura, ensinar para as crianças o plantio do alimento tradicional, das sementes tradicionais. É da terra que vamos conseguir nos fortalecer como povo, a terra que chamamos de Yvy Rupa. Todo o território Guarani, para nós, é sagrado”, afirma o líder indígena Tupã Mirim.

O documentário completo está disponível no Youtube:

Atrás da Pedra, Resistência Tekoa Guarani

Direção: Thiago Carvalho
Produção: Guilherme Queiroz
Roteiro: Taís Oliveira
Ano: 2015
Duração: 30 minutos
Classificação: L (livre para todas as idades)
Gênero: Documentário
Idioma: Português