periferia

Violência policial ressalta preconceito social contra negros da periferia

“Não tolero mais ficar de cabeça baixa para polícia nenhuma”, afirmou Mano Brown São Paulo – A ONG Capão Cidadão realizou ontem (5) debate sobre violência das abordagens policiais contra […]

mano brown.jpg

“Não tolero mais ficar de cabeça baixa para polícia nenhuma”, afirmou Mano Brown

São Paulo – A ONG Capão Cidadão realizou ontem (5) debate sobre violência das abordagens policiais contra jovens negros. Representantes de movimentos sociais ligados à população periférica participaram do evento, que aconteceu na sede do Bloco do Beco, bloco carnavalesco do Jardim Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. O debate contou com a participação do rapper Mano Brown, do grupo Racionais MCs e do ativista Sérgio Vaz, da Cooperifa, entre outros.

“Eu não suporto, não tolero mais ficar de cabeça baixa para a polícia”, afirmou Brown, durante o debate, como mostrado em reportagem realizada pela TVT. O rapper ressaltou que a população jovem negra não deve aceitar o preconceito da polícia.

Pedro Henrique Rocha, do coletivo Tamo Vivo, apontou que o racismo está enraizado pelo sistema, e que é preciso “se impor como negro” para combatê-lo.

A ONG Capão Cidadão foi criada em 2000, com o movimento “Não a violência, eu quero lazer!”. O objetivo é resgatar a cidadania para a comunidade do Capão Redondo através do acesso a cultura, esporte e lazer.

Assista a reportagem realizada pela TVT: