gestão popular

Para Vannuchi, Conselho Participativo é ‘passo adiante’ na democracia em SP

Colunista da Rádio Brasil Atual acredita que iniciativa de Fernando Haddad é importante na trajetória de reconstrução de iniciativas de exercício direto da vida democrática

Danilo Ramos/RBA
conselhos participativos

Eleição dos 1.125 conselheiros contou com 2.885 candidatos e cerca de 120 mil votantes

São Paulo – A posse dos 1.125 conselheiros eleitos para integrar o Conselho Participativo Municipal de São Paulo ocorrerá neste sábado (25), aniversário da cidade. Para o comentarista da Rádio Brasil Atual Paulo Vannuchi, a criação do órgão representa uma “grande mudança” na democracia e permitirá o “controle social sobre o poder público” e sobre a administração municipal.

A eleição dos conselheiros ocorreu em dezembro. Houve 2.885 candidatos e 120 mil votantes. Vannuchi comparou a iniciativa do prefeito Fernando Haddad (PT) ao Orçamento Participativo, experiência de gestão popular de verbas públicas implementada por governos do PT no final da década de 1980.

O conselho é um passo adiante na linha do Orçamento Participativo, que avançou com repercussão mundial, seguido por vários outros países”, comentou. O modelo do Brasil, já aplicado em cidades como Porto Alegre, São Bernardo do Campo (SP), Belo Horizonte e Atibaia (SP) também foi adotado em locais como França, Argentina, Canadá, Bélgica e Uruguai.

“O órgão cumpre a interação democrática entre sociedade civil e o poder público. Governar não é apenas colocar os ministros, suas equipes técnicas para fazer gestão, é chamar o povo a participar”, disse.

O grupo de conselheiros se soma às instâncias administrativas e aos movimentos populares e sindicais, afirmou Vannuchi. “É exercer a cidadania, é participação política não apenas no dia das eleições gerais para prefeito, vereador, presidente da República.”

Ouça o comentário completo na Rádio Brasil Atual