Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2013 / 11 / Bilhete Único Mensal integrado é um 'passaporte para a cidade', diz Haddad

transporte público

Bilhete Único Mensal integrado é um 'passaporte para a cidade', diz Haddad

Sistema vai valer para ônibus, trens e metrô, e o usuário poderá optar entre crédito para integração ou simples no ato da compra
por Rodrigo Gomes, da RBA publicado 21/11/2013 14h55, última modificação 21/11/2013 15h24
Sistema vai valer para ônibus, trens e metrô, e o usuário poderá optar entre crédito para integração ou simples no ato da compra
museu dos transportes
busao.jpg

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), considera que a integração do Bilhete Único Mensal com o sistema de trens e metrô paulista vai ampliar o direito à cidade para a população da capital. “A referência não será mais somente o trabalhador ou o estudante, mas sim o cidadão. O novo cartão amplia o direito de se usufruir da cidade, da cultura, do lazer”, ressaltou Haddad. O sistema mensal começa a valer no próximo dia 30, ao custo de R$ 140, somente ônibus ou só trens, ou R$ 230 integrando os modais. O lançamento foi feito na manhã de hoje (21), na sede da prefeitura da capital.

Com a ampliação para todos os sistemas de transporte, o usuário poderá usar quantas passagens de ônibus, trens ou metrô quiser, durante 30 dias, ao custo fechado, mesmo aos sábados, domingos ou feriados. Haverá somente um intervalo de 30 minutos entre as integrações, que pretende impedir a utilização do benefício por terceiros. “O sistema terá como detectar usos irregulares dos cartões, podendo bloquear o uso”, afirmou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

Tatto estima em cerca de 861 mil pessoas os potenciais usuários beneficiados. “Em um estudo no mês de outubro, esse foi o número de pessoas que utilizou os cartões acima do número de vezes que correspondem somente a ida ao trabalho ou à faculdade”, explicou. Mesmo assim, com a integração ao sistema metroferroviário, ele acredita que o número de pessoas que se cadastrarão deve ser bem maior.

O secretário Estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, afirmou que, no último dia 14, o Metrô chegou a um número de 4,9 milhões de usuários e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a 3 milhões. E não se podia deixar esses usuários fora do benefício da integração. “Quando se criou o Bilhete Único (em 2004) tivemos uma defasagem de quase um ano na integração. Agora decidimos que devia ser feito junto”, disse. O governo estadual ainda estuda o lançamento de um bilhete somente para o sistema de trilhos.

Segundo Fernandes, o bilhete mensal deve causar um impacto anual de R$ 108 milhões na receita do sistema ferroviário paulista. “Isso nós estimamos considerando que 30% dos usuários passem a utilizar o cartão mensal”, explicou. No entanto, o secretário ponderou que ainda não há estimativa do aumento de receita pelo ingresso de novos usuários, que antes não utilizavam os trens e o metrô.

“Pode ser que as coisas se equilibrem. Mas se houver necessidade faremos redução de custos, como o Metrô sempre faz”, disse. Em outubro deste ano, Fernandes anunciou um plano de demissão voluntária, junto a outros cortes de gastos que a estatal faria, para manter a tarifa a R$ 3, para a qual o secretário reafirmou que não há previsão de mudança.

Ambos os secretários não temem maior lotação do sistema de transporte. Para eles, não haverá grande diferença no horário de pico. “E os coletivos serão melhor ocupados em seus períodos ociosos, no meio da tarde e fins de semana”, afirmou Fernandes.

“Se houver aumento da demanda nós vamos disponibilizar mais ônibus ou mais trens, mas isso vai depender de estudos que serão realizados após a implementação do sistema. Teremos alguns dados sobre isso em seis meses”, afirmou Tatto.

Para o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a integração será mais um elemento de desestímulo ao uso do carro particular. “É muito difícil uma pessoa usar só ônibus ou só metrô. Agora, com as três opções, será também um estímulo a se locomover com o transporte público, deixando o carro em casa e contribuindo para melhorar o trânsito.”

Para estudantes, o sistema integrado vai custar R$ 140, que equivale à soma das duas meias-tarifas do bilhete mensal. Os demais valores continuam sendo os mesmos: R$ 70 para estudantes e R$ 140 para usuários comuns ou vale-transporte (VT), que usem só ônibus ou só metrô e trem. No caso dos trabalhadores que recebem o VT, a empresa precisa optar pela aquisição do bilhete mensal. O desconto em folha continuará sendo de até 6%.

Os usuários podem se cadastrar para obter o Bilhete Único Mensal no site da São Paulo Transportes. A opção de uso simples ou integrado será feita sempre no ato da recarga. Caso o usuário não tenho o valor integral do bilhete mensal ele poderá fazer uma recarga simples, pois o cartão manterá todas as funcionalidades do sistema já existente.

Até hoje, 141 mil pessoas se cadastraram para obter o Bilhete Único Mensal. Os primeiros 60 mil cartões serão entregues a partir de terça-feira (26) e contemplarão os que se inscreveram até segunda-feira (18).

Serão 300 postos de recarga a partir de sábado (23). A prefeitura espera chegar a 8.700 pontos até o dia 30. A recarga em lotéricas, para o sistema mensal, só vai começar a operar em fevereiro de 2014, assim como as cotas de estudantes.