Meta atingida

Projeto levanta fundos para produzir jornalismo independente e investigativo

Jornalistas poderão enviar pautas e o público ajudará a escolhê-las; são dez bolsas no valor de R mil para a produção das reportagens viabilizadas por doação coletiva

Mídia Ninja
Jornalismo

Para Agência Pública, jornalismo independente é uma demanda cada vez mais urgente da sociedade

São Paulo – A Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo – Pública anunciou r hoje (20) ter atingido a meta de R$ 47,5 mil para a produção de dez reportagens investigativas e independentes. O projeto foi iniciado no dia 8 de agosto e promoveu um crowdfunding, doação coletiva feita através da internet, para financiar e produzir reportagens investigativas sobre temas escolhidos de interesse e escolhidos pelo público.
Doações ainda podem ser feitas até amanhã (21), pelo site do Catarse.

No total, foram 764 apoiadores da iniciativa, chamada Reportagem Pública. “Estamos muito felizes, porque significa que todos que se engajaram, mas também significa que todo mundo vai entrar no conselho editorial do projeto, todo mundo vai poder votar nas propostas de reportagem que devem ser realizadas”, afirma Natalia Viana, uma das coordenadoras da Pública.

O envio de sugestões de pautas por repórteres interessados em participar do projeto vai até a próxima sexta-feira (27). Depois de passar por uma seleção prévia feita pela equipe da Pública, as sugestões ficarão disponíveis na internet para os participantes do crowdfunding votar e dar sugestões, por duas semanas, a partir do dia 7 de outubro. Depois disso os projetos de reportagem selecionados começarão a ser tocados pelos repórteres.

“Estamos fazendo um chamado mesmo, se alguém que é repórter e sempre quis fazer uma reportagem investigativa, mas não tem apoio, não tem tempo, vai ter apoio não só da Pública mas de 760 pessoas do conselho editorial, que estão apostando neste projeto de reportagem”, explica Natalia.

Segundo ela, o sucesso da meta atingida mostra que o jornalismo independente e investigativo é uma demanda cada vez mais urgente da sociedade. “Passamos por um momento em que se discute se precisa ser jornalista para fazer jornalismo, se o jornalismo tem futuro, já que todos podem produzir conteúdo. Nós acreditamos que sim, fizemos o projeto por causa disso, o futuro da informação precisa do jornalista autoral, do jornalista forte, e este projeto mostra que as pessoas querem que o jornalista faça seu trabalho como ele deve ser feito”, diz.

O projeto reportagem Pública contará com 10 bolsas de R$ 6 mil. Além dos R$ 47,5 arrecadados pelo crowdfunding, a instituição Omidyar Network, que trabalha com transparência de dados na América Latina, formada pelo fundador do site E-Bay, doará mais R$ 47,5 mil, pelo esquema de matchfunding, isto é, para cada real inicialmente doado, a Omydiar doa outro.

No total, serão R$ 95 mil distribuídos entre as bolsas aos repórteres, remuneração da equipe de jornalismo da Pública, que acompanhará o processo de produção das matérias, e o Catarse, site que disponibilizou espaço para as doações.