Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2013 / 07 / Aula pública no Anhangabaú discute 'por que não temer as ruas'

Protestos

Aula pública no Anhangabaú discute 'por que não temer as ruas'

Atividade pretende debater a importância das mobilizações de rua ocorridas no último mês
por Rodrigo Gomes, da RBA publicado 08/07/2013 14h25, última modificação 08/07/2013 14h28
Atividade pretende debater a importância das mobilizações de rua ocorridas no último mês

São Paulo – O professor livre-docente do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP) Vladimir Safatle é o convidado da aula pública que vai discutir porque não se deve temer as mobilizações que tomaram as ruas no último mês. A atividade vai ocorrer na tarde de hoje (8), a partir das 17h, no Vale do Anhangabaú, no centro da capital. Além da exposição de Safatle, haverá diversas discussões em grupo entre os participantes, com o objetivo de propor ações que levem adiante as ideias apresentadas na atividade.

De acordo com Ana Maria Terra, uma das organizadoras da ação, a proposta é que as pessoas não queiram apenas se informar. “Serão feitas pequenas rodas de conversa onde os participantes da aula pública poderão expor as suas ideias sobre o tema e propor ações”, explica. Segunda Ana, quem participa da atividade pode propor ações e organizar grupos de trabalho para levá-las adiante. “Na aula sobre violência policial, um jovem propôs a elaboração de um fanzine sobre o tema. E agora um grupo está desenvolvendo a ideia”, afirmou. Qualquer pessoa interessada pode participar da aula.

A atividade está sendo organizada por ativistas sociais que participaram dos processos do Ocupa Sampa, ocorrido como parte do movimento internacional Occupy, que questionava as ações tomadas por governos em diversas partes do mundo, para enfrentar a crise econômica iniciada em 2008. Essa é a terceira aula pública realizada na cidade. A primeira, em 29 de junho no vão do Masp, na avenida Paulista, debateu violência policial, e a segunda, em 1º de julho, a desmilitarização da polícia.