Calourada 2013 da USP terá ato contra criminalização de movimentos

Recepção aos novos alunos no Campus Butantã também debaterá a política de cotas do governo Alckmin, liberdade de expressão e democracia em universidades

São Paulo – O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de São Paulo (USP) irá realizar na próxima quarta-feira (27) a tradicional Calourada, evento que recepciona os novos alunos da instituição, um ato público contra a “criminalização do movimento estudantil”, em referência aos processos iniciados pelo Ministério Público contra 72 alunos e funcionários que ocuparam a reitoria na universidade em 2 de novembro de 2011. Os alunos protestavam contra um convênio firmado pelo reitor João Grandino Rodas e a polícia militar e são acusados de pichação, desobediência judicial, danos ao patrimônio público e formação de quadrilha. 

O ato será às 19h, no auditório da Faculdade de História, após aula magna do filósofo Vladimir Safatle. A lista de presentes ao ato ainda não foi confirmada, mas são esperados lideranças de movimentos sociais, sindicais, políticos e intelectuais. 

Cotas

O ato encerra a programação da recepção dos alunos, que inclui debates sobre o direito à cidade, com a professora Mariana Fix; liberdade de expressão, com o cartunista Carlos Lattuff e o poeta Binho; e cotas e democratização do acesso à USP. “Nós queremos dar um peso grande nessa questão das cotas porque a proposta que o governo estadual está apresentando é um insulto a todo movimento negro”, afirma Ariele Moreira, dirigente do DCE. 

A proposta do governo Geraldo Alckmin (PSDB) é de que 50% das vagas disponíveis nas três universidades estaduais paulistas, USP, Unicamp e  Unesp, sejam destinadas a alunos provenientes de escolas públicas. Cada universidade poderia selecionar 30% delas dando bônus nas notas obtidas nos vestibulares e as outras 20% seriam preenchidas por alunos de cursos preparatórios semipresenciais. Para os movimentos pró-cotas, esse modelo é ilegal por fazer discriminação negativa. 

“O que estamos preparando, na verdade, tem a ver com a discussão da administração da faculdade e todas as políticas apresentadas”, diz Ariele. 

Confira a programação:

Calourada USP – Campus Butantã
9h – Bolsões – Atividades nos cursos, unidades e campi
13h30 – Abertura: Quem é estudante também vai cantar: para democratizar a USP!
Debatedores: DCE-Livre, professor João Zanetic e professor  Paulo Arantes
Local: Auditório da Geografia
15h30 – Mesas de debates
1) Cotas e democratização do acesso à USP
Debatedores: Frente Pró-Cotas USP, Rede Emancipa!, DCE-Livre, CRUESP e Movimento Quilombo Raça e Classe
Local: Sala 101 – Ciências Sociais
2) Repressão, liberdade de pensamento e expressão cultural
Debatedores: Carlos Latuff, Profº. Souto Maior, COOPERIFA, Sarau do Binho
Local: Auditório da Geografia
3) A educação no Brasil e a democracia nas universidades
Debatedores: Deputado Estadual Carlos Giannazi, Soraya Smaili, reitora da UNIFESP, Apeoesp, Movimento PUC-SP
Local: Auditório da História
4) Direito à cidade
Debatedores: Professora Mariana Fix, Sindicato Metroviários-SP, Associação de Moradores da São Remo e Tribunal Popular
Local: Sala 14 – Ciências Sociais
17h30 – Oficinas livres
Local: Prédio de Letras
19h – Aula Magna: Professor convidado: Vladimir Safatle 
Ato-público contra a criminalização do movimento estudantil e por democracia na USP
Local: Auditório da História
21h – Festa e shows com:
Tulipa Ruiz
Bubalina
Voodoohop
Rafael Castro 
Tatá Aeroplano
Pélico
Local: Velódromo – CEPEUSP