Home Cidadania Polícia invade terreno de S. José dos Campos para expulsar moradores

Polícia invade terreno de S. José dos Campos para expulsar moradores

Justiça paulista ignora decisão Federal, mantém operação para expulsar moradores e detém defensores da comunidade
Publicado por Fabio M Michel, da RBA
11:27
Compartilhar:   

Tropa de choque invade casas para expulsar comunidade do Pinheirinho: excessos e conflito judicial (Foto: ©Lucas Lacaz Ruiz/A13/Folhapress)

São Paulo – Apesar de um acordo firmado na última quarta-feira (18) no Tribunal de Justiça de São Paulo para que fosse adiado o cumprimento da ordem judicial de reintegração de posse da área conhecida por Pinheirinho, em São José dos Campos/SP,  a Polícia Militar invadiu o local na amanhã deste domingo (22) para retirar os milhares de moradores a força, cumprindo nova ordem da justiça paulista. 

A Justiça de São Paulo desrespeitou uma decisão do Tribunal Regional Federal, que por volta das 11h fez chegar ao comando das operações que a desocupação estava suspensa, segundo despacho assinado pelo juiz plantonista Samuel de Castro Barbosa Melo.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de S. José dos Campos, que apoia a luta da comunidade por moradia, a PM paulista chegou ao local sem um único assistente social nem funcionários da prefeitura para orientar e atender as famílias.

“Vieram pra quebrar tudo mesmo, estão passando por cima de todo mundo e atirando nas pessoas”, relatou Herbert Claro, diretor do sindicato, no momento em que os soldados invadiam a comunidade. Segundo o ativista, uma escola estadual próxima ao local foi usada pela polícia para as detenções. Relatos davam conta de pelo menos três mortos até as 12h30 do domingo. O comando da operação da PM negou que tenham havido vítimas fatais, mas impediu o acesso da imprensa ao bairro durante todo o domingo.

Outros informes, como o do jornalista Renato Rovai mostravam que o resultado da ação lembrava cenas de guerra. “Neste local estão amontoados crianças, cachorros, botijões de gás, senhoras chorando. É um cenário de área de refugiados”, disse.

No início da noite, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), declarou que o Secretário de Articulação Social da Presidência da República, Paulo Maldos, havia sido recebido a tiros de bala de borracha quando tentou entrar no Pinheirinho.

Defensores dos moradores e ativistas do movimento por moradia acusam o prefeito da cidade, Eduardo Cury (PSDB) de agir contra os moradores, em parceria com o governador Geraldo Alckmin. 

A Tropa de Choque invadiu o Pinheirinho por volta das 6h da manhã, cumprindo ordem de reintegração determinada pela juiza civel Márcia Loureiro. Segundo a prefeitura de São José, cidade do Vale do Paraíba a cerca de 100 quilômetros da capital paulista, a comunidade abriga cerca de 5,5 mil pessoas.

Desde o primeiro despacho judicial ordenando a desocupação da área de 1 milhão de metros quadrados – que pertence à massa falida de uma empresa do megaespeculador Naji Nahas – os moradores prometem “resistir até a morte” para permanecer em suas casas, enquanto prosseguem a luta pelo direito à moradia.

Segundo jornalistas no local, um carro blindado da PM paulista liderou a ação policial, seguido por soldados da Tropa de Choque e da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, tudo monitorado por dois helicópteros da corporação. Na tentativa de conter a invasão, os moradores atearam fogo em barricadas que haviam armado em alguns pontos de acesso à área.

Cerca de 2 mil policiais militares foram destacados para retirar os ocupantes. O efetivo conta ainda com soldados da Guarda Civil Metropolitana da cidade. 

Em breve mais informações