Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2010 / 07 / Projeto leva inclusão ao interior do Brasil por meio do audiovisual

Projeto leva inclusão ao interior do Brasil por meio do audiovisual

por Alana Gandra, da Agência Brasil publicado 06/07/2010 10h01, última modificação 06/07/2010 10h02

Rio de Janeiro - Moradores de municípios brasileiros com até 20 mil habitantes podem se inscrever na quarta edição do projeto Revelando os Brasis, desenvolvido em parceria pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e o Instituto Marlin Azul. O objetivo é promover a inclusão audiovisual  da população do interior, por meio da  produção de vídeos que contenham histórias reais ou de ficção, elaboradas pelos próprios habitantes dessas cidades.

A presidente do Instituto Marlin Azul, Beatriz Lindemberg, coordenadora do projeto, explicou que serão selecionadas 40 histórias, para serem transformadas posteriormente em videos de ficção ou documentários. Os autores  passam por uma oficina de capacitação na área de cinema, durante 12 dias, no Rio de Janeiro, onde terão aulas de roteiro, fotografia, edição, direção, produção e direção de arte.

"O projeto proporciona essa primeira experiência de produção audiovisual e seleciona uma pessoa de um município de até 20 mil habitantes. O escolhido vai ser um mobilizador daquela comunidade e vai envolver outras pessoas que também não têm experiência em audiovisual para participar da produção do vídeo", disse Beatriz.

A equipe que dá continuidade, na prática, ao processo de produção dos vídeos tem a participação de dois profissionais do setor, para garantir qualidade técnica aos trabalhos. "O filme é feito por uma equipe mista, de iniciantes e profissionais, que estão ali para orientar o grupo. Dessa maneira, o projeto atinge o objetivo de dar o primeiro passo em direção à produção audiovisual nas pequenas cidades do interior".

Ao fim do processo, os vídeos são exibidos em sessões abertas nas comunidades e transformados em DVDs, que incluem os bastidores das oficinas e das filmagens. A distribuição é gratuita para universidades, escolas de cinema, pontos de cultura, cineclubes, além dos próprios autores.

A média de inscrições recebidas anualmente pelo projeto é de 700 a 800. Uma comissão formada por profissionais da área do audiovisual e acadêmicos das cinco regiões do país se encarrega de fazer a seleção das histórias com potencial para serem transformadas em filmes.

Desde a primeira edição, em 2004, o projeto produziu 120 obras. Algumas delas foram levadas a festivais de cinema no Brasil e no exterior. Beatriz Lindemberg ressaltou que muita gente, a partir do Revelando os Brasis, acaba se interessando pela linguagem do audiovisual e, muitas vezes, se profissionalizando.

Foi o caso de Elano Ribeiro, morador de Mendes, no sul fluminense. Ele participou da terceira edição do projeto, em 2008. "Para mim, foi fantástico, porque enquanto estava participando das oficinas, a minha preocupação era que eu conseguisse dar sequência de alguma maneira ao projeto", afirmou. Atualmente, Elano é um videomaker (realizador pleno de vídeos)  profissional. "O Revelando (os Brasis) mudou literalmente a minha vida. Abriu outra porta. Eu entrei de cabeça no universo audiovisual e não saí mais. Hoje, sou um apaixonado pelos trabalhos com vídeo".

O projeto conta com o patrocínio da Petrobras. As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 deste mês. Beatriz lembrou que o projeto revela um olhar peculiar sobre o Brasil. "São Brasis que o Brasil desconhece", afirmou.