Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2010 / 05 / Aliciamento de crianças pela internet preocupa especialistas

Aliciamento de crianças pela internet preocupa especialistas

por Agência Brasil publicado 18/05/2010 17h13, última modificação 18/05/2010 17h15

Rio de Janeiro – O aliciamento de crianças e adolescentes pela internet é uma prática usual no Rio de Janeiro, aliada à difusão de imagens pornográficas das vítimas. Esse foi o tema central da oficina para educadores realizada nesta terça-feira (18), Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no Rio.

O uso de redes sociais para conversar e postar fotos atraem crianças e jovens à internet. Eles não têm dimensão dos perigos que ela representa, afirma o psicólogo e diretor de prevenção da organização não-governamental (ONG) SaferNet, Rodrigo Nejm.

“As crianças não encaram a internet como espaço público. A mesma criança que não colocaria uma foto num mural da escola coloca na internet, porque acha que só os amiguinhos vão ver. Elas não têm noção que alguém pode copiar, manipular e divulgar a foto. Outras até sabem que muitas pessoas vão ver, temos uma sociedade que faz culto a celebridade e culto a autoimagem e isso influencia as crianças”, observa Rodrigo.

Conhecida como “geração multimídia”, as crianças de hoje crescem habituadas à tecnologia e à internet. Os especialistas dizem que é importante que os pais acompanhem como seus filhos navegam na rede mundial de computadores, vendo os sites e perfis das rede sociais que frequentam. Além disso, assinalam, é importante orientá-los sobre os riscos de transmitir informações pessoais e fotos via internet.

“Além da preocupação com a pedofilia, há também os casos de violências entre os próprios jovens por meio de ofensas e humilhações, ou sites que fazem apologia ao suicídio e doenças como bulimia”, diz Rodrigo.

Além de orientarem as criança e os adolescentes para que se protejam na internet, é importante que os pais e professores estimulem o senso de responsabilidade, ética e cidadania no mundo virtual, ressalta Rodrigo.

As práticas que oferecem riscos às crianças e aos adolescentes são fiscalizadas e podem ser denunciadas por meio de serviços como o Disque 100 e o site Denuncie (www.denuncie.org.br). No primeiro semestre de 2009, o site recebeu 25 mil denúncias de páginas que contêm conteúdos irregulares.

Nesta terça, agentes da Delegacia da Criança e do Adolescente Vitima fizeram uma operação no Rio de Janeiro para cumprir cinco mandados de prisão contra acusados de pedofilia. Três pessoas foram presas - entre elas, um policial militar acusado de violentar a própria filha, de 15 anos.

Fonte: Agência Brasil