Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2009 / 06 / Comunicação: mobilização para se contrapor a interesses empresariais

Comunicação: mobilização para se contrapor a interesses empresariais

Preparação Conferência Nacional de Comunicação é iniciada nos estados. Movimentos e organizações sociais se articulam para democratizar a mídia
por Rodrigo Rodrigues, Jornal Brasil Atual publicado 08/06/2009 09h39, última modificação 08/06/2009 09h45
Preparação Conferência Nacional de Comunicação é iniciada nos estados. Movimentos e organizações sociais se articulam para democratizar a mídia

A primeira Conferência Nacional de Comunicação acontece em Brasília, entre os dias 1 e 3 de dezembro. Antes da etapa final, a conferência prevê que várias fases regionais sejam realizadas em todos os estados do país.

Segundo a comissão que organiza as discussões, as etapas estaduais acontecerão entre os meses de julho e agosto. Entretanto, desde a publicação em abril do decreto que criou a conferência, várias entidades já estão se organizando para participar das discussões.

Paraíba, Amapá e Sergipe são apenas alguns estados que já realizaram encontros na última semana, como conta o membro do Coletivo Intervozes, Jonas Valente.

“A conferência significa, para diversos movimentos e entidades, uma oportunidade de debater publicamente com empresários, poder público e a população, essa demanda represada dos temas da áreas da comunicação”, explica. Ele acredita que as organizações desse campo estão consientes de que a batalha será dura por haver interesses empresariais com muita força junto aos grupos políticos. “Ao mesmo tempo, reconhecem a importância de estarem mobilizados para poder garantir que a Conferência não seja um acordo entre empresários”, sustenta.

Jonas Valente diz também que o coletivo Intervozes participa de todos os eventos paralelos a fim de mobilizar o maior número de entidades possíveis na construção do processo.  Ele lembra que, até dezembro, as entidades que lutam pela democratização das comunicações tem pelo menos três grandes batalhas pela frente. “A primeira é animar e encantar o povo para participar do processo; a segunda, é conseguir traduzir essa mobilização em uma presença efetiva e aprovar resoluções progressistas e democratizantes; e a terceira é conseguir, após o fim da etapa nacional, criar um calendário efetivo de implementação dessas resoluções”, detalha.

O calendários das discussões regionais e todas as notícias sobre a conferência de comunicação podem ser encontradas no www.proconferência.com.br.