Conjuntura

Saída para resolver a crise e o desemprego é a retomada da democracia, diz cientista político

Para Carlos Melo, construção coletiva é o melhor caminho; antes é preciso superar a intolerância e criminalização da política

Arquivo/EBC
Carlos Melo: 'A gente se vê numa grande enrascada quando começam a aparecer salvadores da pátria, que não têm respostas'

São Paulo – A saída para resolver a crise e o desemprego no país é a retomada da democracia, afirma o cientista político e professor do Insper Carlos Melo. Em entrevista ao jornalista Rodolpho Gamberini, do canal O Planeta Azul, ele disse que para a criação de empregos ainda não se conhece a melhor solução. “Mas o melhor caminho é por uma construção coletiva. O nome desse processo é democracia”.

Ele observou, no entanto, que o processo de construção democrática demora porque o tempo da política não é o tempo da vida normal ou do desenvolvimento tecnológico. “É muito mais lento. As pessoas ficam exasperadas e começam a procurar soluções imediatas”.

O cientista político refere-se como solução imediata ao fenômeno de a opinião pública acreditar que pode existir um ‘salvador da pátria’, como voltou a acontecer nas eleições de 2018, que levaram Jair Bolsonaro à presidência da República, ou mesmo historicamente, com a crise dos anos 1930 na Europa, que propiciou a ascensão de Hitler e Mussolini.

“A gente se vê numa grande enrascada quando começam a aparecer salvadores da pátria, que não têm respostas”, destacou.

Na entrevista, Melo também fala sobre os desdobramentos do ambiente de intolerância e de criminalização na política, que dominam diferentes segmentos sociais no país atualmente. Segundo ele, esses elementos criam um processo deletério que também prejudica a manutenção da democracia e favorece a atuação política da figura do salvador da pátria.

Confira a entrevista: