Diário do Bolso

Pô, Diário. Eu pensei que hoje ia ser dia de “kkks”, mas vai ser dia de “Os pôs do Jair”.

Ontem eu só me lasquei, Diário. Eu e um monte de apoiador meu só recuando... Se continuar desse jeito vai complicar pro meu lado, pô

Marcos Corrêa/PR
Pô, assim não dá. Estão querendo me apertar de todo lado, pô. Daqui a pouco vão até soltar o Lula e, pô, vou ter que debater com ele

1-) Pra começar, eu disse que só ia aceitar os 20 milhões de dólares dos países ricaços se o Macron pedisse desculpas por ter me chamado de mentiroso. Mas tive que voltar atrás. Ia ficar na cara que eu não estava dando a menor bola pras queimadas na Amazônia. Só que o pior é que me fizeram apagar aquele meu comentário que tirava sarro da mulher do Macron lá no Twitter. Cadê a liberdade de expressão? Assim não dá, pô!

2-) O vazamento de ontem do Intercept foi fogo. Mostrou os procuradores da Lava Jato tirando sarro da morte da Marisa, do irmão do Lula e do neto dele. Os caras têm mais ódio do Nove Dedos do que eu. Mas o pior é que uma das procuradoras pediu desculpas. Justo a Jerusa Viecili, aquela que tinha dito “Querem que eu fique pro velório?” e botou uma carinha rindo. O ruim é que, pedindo desculpas, ela diz que a mensagem é verdadeira. Tinha que fazer de conta que não era com ela. Mentira é uma coisa que a gente tem que levar até o fim, pô!

diário do bolso/reprodução

“Tá vendo aí, pô?”

3-) Por exemplo, o procurador Januário Paludo, que disse “O safado só queria passear”, quando o Lula quis ir no enterro do irmão, não se retratou. Nem a Laura Tessler, que disse que por causa da morte da Marisa ia ter “sessão de vitimização”. Nem o Athayde Ribeiro Costa, que reclamou que a morte do neto do Lula foi “no meio do carnaval”. Nem o Antonio Carlos Welter, que disse que a morte da Marisa liberou o Lula “para a gandaia”. Nenhum desses falou nada. É assim que se faz, pô!

4-) Essa Jerusa tinha que seguir o exemplo daquele piloto, o Lucas di Grassi. Ele disse que o Louis Hamilton, que postou falando sobre os incêndios na Amazônia, estava espalhando “fake news”. E depois, na Corrida do Milhão, fez uma ultrapassagem irregular e não cumpriu a punição. É isso aí, tem que manter a história até o fim, pô!

5-) Mas o pior de tudo foi que o Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobrás e do Banco do Brasil, teve a condenação anulada. Foi a primeira vez que anularam uma condenação do Moro na Lava Jato. E a mesma turma vai julgar o habeas corpus pro Lula. E agora? E se derem liberdade pra ele? Pô, Diário, aí complica…

No Facebook: @diariodobolso