Home BlogsDiário do Bolso Agenda secreta com Trump no Japão. Que emoção! Que será que ele quer comigo?
Diário do Bolso

Agenda secreta com Trump no Japão. Que emoção! Que será que ele quer comigo?

O chato é que todo mundo vai ficar perguntando sobre o sargento pego com cocaína. Sorte seria o cara não ser descoberto, né, general Heleno?
Publicado por Paulo Donizetti de Souza, da RBA
08:50
Compartilhar:   
Alan Santos/PR/Fotos Públicas

Veja só, diário: é o cara!

Diário, aqui no Japão eu vou falar com um monte de gente. E já estou bolando umas conversas para quebrar o gelo.

Com o primeiro-ministro do Japão vou fazer aquela piada que eu fiz com o japonês que eu encontrei no aeroporto: “Aí é tudo pequenininho, né?”.

Com o primeiro-ministro de Singapura, um tal de Lee, eu vou dizer: “Adoro a calça que a sua família fabrica”.

Para o Xi, da China, vou dizer: “Ainda bem que seu pai não era gago, hein?”

E pro Narendra Modi eu vou dizer que os únicos índios que eu gosto são os dele, porque a Índia fica bem longe, kkkk!

Ah, também vou falar com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita. Ninguém quer bater papo com o cara depois que ele foi acusado de envolvimento no assassinato de um jornalista de lá que escrevia para o The Washington Post. Mas, pô, não se pode deixar o príncipe na geladeira só por uma coisinha dessas.

O melhor mesmo vai ser meu encontro de agenda secreta com o Trump. Agenda secreta… que emoção! O que será que ele quer comigo?

E ainda vou falar com o Grupo de Lima, que são os chanceleres que vão discutir o que a gente vai fazer com a Venezuela. O Trump bem que podia pedir para todo mundo invadir. Ganhar uma guerra ia garantir a minha reeleição.

O chato é que todo mundo vai ficar me perguntando sobre o sargento que foi pego com cocaína. E vão fazer piadinhas do tipo: “O avião é presidencial ou de carreira?”, “O militar que foi preso é um aspirante?”, “Ele faz parte dos fuzileiros nasais?”, “É verdade que o senhor vai estrear uma série na Netflix chamada Bolsonarcos?”, “Vai mudar o nome do AeroLula para AeroCoca?”, “Depois da Lava Jato chegou a hora da Pó a Jato?”

Para piorar o general Heleno falou que foi “falta de sorte”. Quer dizer que a sorte seria o cara não ser descoberto?

A coisa tá tão ruim que quem me defendeu foi o Marcelo Freixo.

Pô, Diário, meu pessoal tinha que ter inventado uma história bem rápido. Por exemplo, podiam ter dito que o sargento era um hacker petista que estava levando a droga para universitários gays fazerem balbúrdia com os russos do Telegram. Só eu que sou inteligente nesse governo, caramba!