Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Copa na Rede / 2014 / 05 / Viaje pelo Brasil da Copa com Mouzar Benedito

Tem que ler

Viaje pelo Brasil da Copa com Mouzar Benedito

Livro "Para Entender o Brasil, o país do futebol" traz curiosidades, dicas e histórias das cidades que sediarão jogos do Mundial. E, ainda bem, não segue o padrão Fifa
por Mauricio Ayer, do Futepoca publicado 30/05/2014 21h41, última modificação 02/06/2014 18h28
Livro "Para Entender o Brasil, o país do futebol" traz curiosidades, dicas e histórias das cidades que sediarão jogos do Mundial. E, ainda bem, não segue o padrão Fifa
Reprodução
Para Entender o Brasil, o país do futebol

Capa do livro de Mouzar Benedito: uma viagem que vale a pena

Se eu tivesse que indicar alguém pra apresentar o Brasil a um estrangeiro, eu não teria a menor dúvida: falaria com o Mouzar Benedito. Ele não só é geógrafo e jornalista, bom de prosa e especialista em cultura popular, como faz décadas que está rodando o Brasil com o único intuito de conhecer nossa terra e nossa gente. É difícil encontrar algum lugar por onde ele ainda não tenha passado.

Daí que o lançamento da Liz Editorial é realmente um achado: chamaram o Mouzar pra escrever sobre as 12 capitais que serão sede da Copa do Mundo 2014. Para Entender o Brasil, país do futebol só não tem “copa” no mundo porque não é publicação oficial, e ainda bem que não é. Pois em vez do “padrão Fifa”, temos o “padrão Mouzar”, garantia de que você vai descobrir coisas inusitadas e muito interessantes sobre cenários e culturas tão diferentes quanto as de Porto Alegre, Manaus e Recife.

A grande experiência de cronista deu ao Mouzar um olhar particularmente aguçado para o inusitado. E pra terminar, ele é um verdadeiro erudito no que se refere à história do Brasil, à língua portuguesa falada nos quatro cantos desta terra e às peculiaridades dos costumes de cada lugar.

Vou dar um exemplo: você sabe por que o patronímico (calma, é isso aqui) do nosso país não segue o padrão de outras nacionalidades (italiano, francês, chileno, salvadorenho…) e sim o padrão dos substantivos que denominam ofícios (ferreiro, marceneiro, tintureiro, etc.)? Aprendi isso no livro do Mouzar: é porque “brasileiro” inicialmente era o profissional dedicado à extração e comercialização do pau-brasil. Os portugueses os chamavam de brasileiros, que depois acabou sendo ampliado a todos que aqui nasceram ou que aqui vivem.

Para quem já programou se deslocar para alguma das sedes para ver algum jogo da Copa, este livro é um excelente guia. Para quem não, é um ótimo aperitivo para ficar com vontade de viajar e conhecer o Brasil. Por conta disso, talvez esse livro cumpra o principal objetivo de se ter feito uma Copa espalhada pelas cinco regiões: ele nos faz lembrar da diversidade dessa terra, quase milagrosamente unida pela língua portuguesa e, evidentemente, pelo futebol.

Para constar: o livro é bilíngue (português e inglês) e fartamente ilustrado com lindas fotos coloridas.

Pra fechar o pacote, o ingrediente final: o preço é bem convidativo. A versão ebook está saindo, no site da Livraria Cultura, por apenas R$ 12,00. Só doze reais. Vale o show?