Luiz Marinho

CPI da Covid lançará luz sobre os crimes e a covardia de Bolsonaro

Bolsonaro foi eleito para proteger o povo. E a CPI da Covid mostrará que ele não o faz. Governa com a covardia com que sempre agiu em sua vida

Carolina Antunes/Fotos Públicas
Art. 268 do Código Penal – "Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa"

A CPI da Covid instalada nesta terça-feira (27) para investigar a condução do enfrentamento à pandemia por Bolsonaro e seu governo promete trazer revelações que deixarão estupefatos brasileiros e brasileiras. Uma das primeiras, e talvez a mais impactante das revelações, envolve a compra, ou melhor, a negativa de compra de vacinas ainda em 2020. Sim, Bolsonaro se recusou a comprar em dezembro pelo menos 70 milhões de doses de vacinas da Pfizer. Essa é uma das principais causas de hoje estarmos tão atrasados na vacinação. O estímulo a aglomerações, infringindo claramente as medidas sanitárias, deverá receber um tratamento especial por parte da CPI da Covid. E a reincidência em tal crime o torna ainda mais grave. A cumulatividade amplia a pena a ser aplicada. Esse crime está caracterizado no artigo 268 do Código Penal e tem pena prevista de detenção de até um ano.

E seguem as irregularidades sobre as quais a CPI da Covid lançará luz. A determinação para que o Ministério da Saúde editasse o protocolo sobre o uso da hidroxicloroquina, medicamento sabidamente ineficaz no enfrentamento ao coronavírus. A propaganda escancarada nas lives do próprio Bolsonaro, inclusive com pressão sobre profissionais de saúde, para seu uso também ferem o Código Penal.


Em países com vacinação contra a covid avançada, vida começa a voltar ao normal


Mas não ficarão por aí as revelações do quão desastrosa está sendo a condução do enfrentamento ao coronavírus pelo (des)governo da familícia. O estímulo à pessoas dispensarem as máscaras, as falsas dúvidas sobre a eficácia das vacinas, a falta de oxigênio nos hospitais de Manaus, que só aconteceu porque Bolsonaro se recusou a ouvir os alertas da empresa fornecedora e do governo do Amazonas. E quando questionado, cínico como é característico dos genocidas, disse: “O que eu tenho a ver com falta de oxigênio?”

Tem tudo a ver. Bolsonaro foi eleito para proteger o povo brasileiro. E não está fazendo. Aliás, governa com a covardia com que sempre agiu em toda a sua vida. Enquanto não pudermos ocupar as ruas, temos que ocupar as redes, acompanhando o trabalho da CPI da Covid, subindo todos os dias as tags #BolsonaroCriminoso #BolsonaroMata #BolsonaroGenocida #ForaBolsonaro #BolsonaroCulpado. Essa é a tarefa das pessoas que querem defender a vida e resgatar a dignidade do Brasil.