Mauiro Santayana

Os números de maio. Dados favoráveis da economia não foram criados agora

Resta saber se os gênios do PT irão aludir aos bons números do país e à verdade dos fatos, ou se continuarão recorrendo ao mimimi improdutivo ante ao massacre dos inimigos da democracia

Reprodução/NBR
Fazenda

Nelson Barbosa, ministro afastado da Fazenda, e Henrique Meirelles, ministro interino: sem herança maldita

Contrariando as “previsões” da mídia e do “mercado”, o Brasil registrou, no mês passado, superávit de US$ 1,2 bilhão de dólares em transações correntes, devido, principalmente, a um superávit de mais de US$ 6 bilhões no comércio com outros países, que chegou a quase US$ 20 bilhões nos primeiros cinco meses do ano.

Em maio, o Investimento Estrangeiro Direto também foi de mais de US$ 6 bilhões, completando, nos últimos 12 meses, cerca de US$ 79 bilhões, uma gigantesca soma de mais de R$ 260 bilhões.

Esse é o país – com US$ 374 bilhões de dólares em reservas internacionais, quase R$ 1,5 trilhão guardado – que o consenso de boa parte da mídia e da massa ignara que domina as redes sociais e o espaço de comentários dos jornais e portais aponta como destruído, economicamente quebrado e sem credibilidade nos mercados internacionais.

Agora, resta saber se os “gênios” do PT – considerando-se que o partido estará sentado no banco dos réus, junto com ela, no julgamento do impeachment pelo Senado – vão aludir a dados como estes na defesa da presidente Dilma, e a outros, como o da diminuição da Dívida Pública Bruta e da Dívida Líquida de 2002 até agora, ou se vão continuar recorrendo ao “mimimi” e à retórica contraprodutiva na hora de defender a verdade dos fatos da massacrante consolidação dos mitos e paradigmas de seus inimigos junto à opinião pública.