Resultado derruba bolões

Uruguai 1 X 3 Costa Rica – a zebra comeu churrasco

A seleção costarriquenha conseguiu uma linda virada sobre uma inoperante Celeste Olímpica, mostrando que garra não é monopólio dos uruguaios

Julio Muñoz/EFE
oscar duarte costa rica uruguai

Oscar Duarte comemora o segundo tento do histórico triunfo da Costa Rica sobre o Uruguai

Antes do apito inicial, o retrospecto não favorecia os costarriquenhos. As duas equipes haviam se enfrentado em oito ocasiões, com seis vitórias do Uruguai e dois empates. O último confronto foi na repescagem das eliminatórias da Copa da África do Sul, em 2010, empate em 1 a 1 no Centenário que classificou a equipe de Óscar Tabárez.

Com a redonda em ação na Arena Castelão, um jogo morno com as duas equipes se estudando até os 15 minutos do primeiro tempo, quando a Celeste chegou duas vezes com bolas lançadas pelo alto. Primeiro, um gol anulado corretamente depois de cobrança de falta e, aos 16, com uma finalização equivocada de Cavani.

Foi justamente uma bola aérea que resultou no pênalti que deu uma vantagem até então imerecida ao Uruguai. Diego Lugano foi agarrado na área e fez questão de demonstrar a infração – algo comum nessa Copa – exagerando o lance. O árbitro Felix Brych marcou o pênalti e Cavani, aos 22, cobrou sem chances para Keylor Navas, arqueiro do Levante.

Os centro-americanos, após certo atordoamento, voltaram à carga aproveitando a postura uruguaia, que recuou e passou a esperar o rival no contra-ataque. Joel Campbell, jogador quase onipresente no campo de ataque, finalizou da intermediária e assustou o goleiro Fernando Muslera aos 26. Em seguida, aos 30, Christian Bolaños tocou e Giancarlo González chutou com perigo, para fora.

Aos 43, nova chance da Costa Rica. Muslera sai mai do gol e Giancarlo González acabou cabeceando o vácuo. A chegada solitária da Celeste ocorreu aos 44, quando Forlán acertou uma finalização que resvalou em Oscar Duarte, subindo e exigindo uma defesa fantástica de Keylor Navas.

Virada e “olé”

Depois do intervalo, o jogo parecia igual. Aos 5 minutos da etapa final, Lugano fez falta violenta em Campbell e recebeu cartão amarelo. Na cobrança ensaiada Bolaños fez o lançamento para Oscar Duarte no segundo pau. Muslera fez a defesa parcial e a zaga afastou.

Os costarriquenhos já começavam a ganhar parte do público presente na Arena Castelão quando Bolaños deu um lindo passe de letra para Christian Gamboa, que avançou pelo lado direito e cruzou para Joel Campbell chutar forte, aos 8, e marcar o gol de empate.

Para o apostador de bolão, uma zebra; para quem via a partida, um placar mais justo. Mas a Costa Rica não se deu por satisfeita e, aos 12 minutos, na mesmíssima cobrança de falta ensaiada, desta vez Duarte acertou a cabeçada, mesmo com o pé de Diego Godín na sua nuca, e fez o improvável tento da virada.

Óscar Tabárez resolveu alterar a equipe, tirando o quase apagado Diego Forlán e colocando Lodeiro, e substituindo Gargano por Álvaro González, buscando ser mais presente no meio de campo rival. Ainda assim, foi Joel Campbell quem assustou com um lindo chute de fora da área, que passou perto do ângulo direito da meta celeste.

Na sequência, foi a vez do Uruguai tentar pressionar, mostrando, enfim articulação de lances ofensivos. Maxi Pereira fez um cruzamento sob medida aos 25 para Cavani, que cabeceou para mais uma boa defesa de Keylor Navas.

Aos 29, a torcida brasileira, já “convertida” à esforçada equipe centro-americana, gritava “olé” assistindo ao toque de bola do time. O técnico da Celeste mudou de novo, colocando Abel Hernández no lugar de Cristian Rodríguez, buscando empurrar sua seleção para a frente. Com o passar do tempo, a instabilidade deu as caras entre os uruguaios, com Martín Cáceres acertando de forma violenta Christian Gamboa, levando cartão amarelo.

Mas o milagre se consolidaria aos 39. O astro do confronto, Joel Campbell, deu uma linda assistência para Marco Ureña na ponta direita avançar dentro da área e fazer o terceiro. Maxi Pereira ainda apelou ao acertar Campbell de forma mais que desleal, sendo expulso da partida.

Um belo espetáculo e uma grande vitória costarriquenha. Os próximos rivais estarão mais atentos… Ah, sim. O Copa na Rede avisou