Home Blogs Alemanha bate Argélia na prorrogação em jogaço no Beira Rio
Quase, África!

Alemanha bate Argélia na prorrogação em jogaço no Beira Rio

Partida disputada segundo a segundo teve chances para os dois lados e foi uma das melhores da Copa – mesmo sem gols no tempo normal
Publicado por Futepoca
19:44
Compartilhar:   
Oliver Weiken/EFE
Ozil comemora gol da Alemanha

Ozil espanta a zica argelina marcando o segundo gol da partida. Mas não foi nada fácil

Argélia e Alemanha fizeram um jogaço no fim de tarde desta segunda-feira (30), no estádio Beira Rio, em Porto Alegre. Os argelinos fizeram uma partida praticamente perfeita e por pouco não azedam o chopp dos alemães, que só conseguiram marcar o primeiro gol já na prorrogação. A partida terminou em 2 a 1, com chances de gol para os dois lados e muita emoção. Agora, a Alemanha pega a França no dia 4, no Maracanã.

No tempo regulamentar, tivemos possivelmente o melhor empate sem gols já visto pelos autores deste blogue. Em grande medida, o placar não se moveu pelas atuações perfeitas dos dois goleiros, M’Boulhi e Neuer, e com atribuições muito diferentes. Enquanto o argelino fez pelo menos três defesas brilhantes embaixo das traves, o alemão teve que utilizar técnicas diferentes para garantir sua meta: com a Alemanha totalmente avançada, chegando a ter em vários momentos nove jogadores em seu campo de ataque, Neuer precisou atuar quase como um líbero, saindo da área várias vezes para cortar com os pés lançamentos em profundidade para o atacante Slimani.

O jogo teve propostas bem definidas durante quase todo o tempo. A Argélia modificou bastante seu time em relação à última partida, buscando uma proposta defensiva: tumultuar o meio de campo e formar um paredão à frente de sua área. Eram duas linhas de quatro bem definidas, com Slimani como único jogador no ataque e o camisa 19 Taider fazendo a ligação pelo meio, junto com Feghouli à direita e Soudani à esquerda.

De seu lado, a Alemanha apostava na troca de passes para tentar abrir espaços no bloqueio, com um repertório que incluiu viradas de jogo e muita movimentação: Thomas Muller, Ozil, Gotze e Schweinsteiger trocaram de posição várias vezes, aparecendo por todos os lados.

Com a bola rolando, a proposta argelina funcionou melhor, especialmente na primeira etapa: apesar de ficar com a bola, terminando a partida com 78% de posse, os alemães demoraram para ameaçar o gol de M’Boulhi. As melhores chances do primeiro tempo foram dos africanos, em contra-ataques rápidos e bem organizados, na maioria terminando no atacante Slimani.

A primeira foi logo aos 9 minutos, num contra-ataque para a Argélia que alcançou Slimani na frente, com vantagem sobre a zaga alemã. Foi o primeiro momento de zagueiro para Neuer, que percebeu o perigo e saiu da área para tentar rebater. O argelino consegue dominar, mas o goleiro perseguiu o atacante e travou o chute na hora H. Na sequencia, outro contra-ataque e Mertesacker desarmou Slimani na meia lua.

O primeiro ataque da Alemanha foi aos 13 minutos, num chute de Schweinsteiger de fora da área, que M’Bolhi defendeu em dois tempos.

Depois disso, novos contra-ataques argelinos. Aos 14, Feghouli passa aos trancos por três zagueiros mas fica sem ângulo e chuta por cima. Aos 16, Soudani cruza da esquerda, Slimani faz de cabeça, mas o bandeirinha assinala corretamente o impedimento.

Aos 19, em nova jogada pela esquerda, Soudani recebeu o lançamento do meio e viu a passagem do camisa 3 Ghoulam, que invadiu a área e finalizou cruzado, para fora. Slimani ficou na linha da pequena área cobrando o passe.

Aos 22, a Alemanha volta a preocupar. Bola cruzada na área da Argélia e cabeçada de Muller sai por cima, sem perigo. Um minuto depois, ataque rápido alemão, numa das poucas oportunidades com maior equilíbrio no número de atacantes e defensores. Ozil recebe pela esquerda do ataque, tenta o cruzamento, mas a bola acaba indo para o gol, e M’Boulhi espalma para escanteio.

Depois disso, mais Argélia. Aos 27, bola chutada da zaga africana, Mertesacker falhou no domínio e viu a bola escapar em dividida com Slimani. Feghouli chegava em velocidade para roubar a pelota e sair na cara do gol, mas Neuer mais uma vez se arriscou saindo da área e colocando de carrinho para lateral.

Aos 38, após cobrança de falta pela esquerda do ataque argelino, a defesa corta e a bola sobra para Mostefa, que bate de primeira. A bola desvia na zaga e deixa Neuer vendido no lance, apenas olhando a bola sair à sua direita.

A melhor chance alemã veio aos 40, com uma das armas que tentaram para furar a defesa: o chute longo. Kroos bateu de fora da área, no cantinho, e M’boulhi se esticou todo para defender. A bola sobrou com Gotze, que bateu a queima roupa, mas o goleiro conseguiu abafar numa linda defesa.

Segundo tempo

A segunda etapa começou com os alemães mais inspirados, com Schurrle no lugar de Gotze, que parece ter sentido o peso da partida. O time começou criando mais chances e conseguindo neutralizar os contragolpes argelinos.

Aos 3 minutos, tabela pela direita do ataque e Schurrle recebe uma bola meio mascada na cara de M’Boulhi. Ele bate prensado com a zaga e a bola sai raspando a trave. No escanteio, Mustafi cabeceia firme, no meio do gol, mas o goleiro argelino pega, bem colocado.

Pouco depois, Schweinsteiger recebe bola enfiada na marca do pênalti e ajeita para Lahm, que chuta de direita. M’Boulhi faz a defesa com as pontas dos dedos e manda para escanteio.

Depois de uma pressão nos primeiros 10 minutos, a marcação argelina se acertou e o jogo diminuiu de ritmo. Até que, aos 25, novo lançamento para Slimani que ganha de Boateng, mas vê Neuer, de novo, aparecer como um líbero e tirar de cabeça, salvando mais uma vez a Alemanha.

O lance acordou a Argélia, que teve nova sequência de ataques. Aos 28, lateral para a Argélia na direita do ataque, Feghouli vira rápido e chuta de esquerda. A bola sai à direita de Neuer, que não chegaria no lance. Aos 29, outro contra-ataque e Slimani finaliza de fora da área, mas Neuer defende bem no centro do gol.

Depois foi a vez de nova blitz alemã. Aos 33, Muller fez grande jogada pela direita, com direito a drible da vaca, e cruza bem, mas o cabeceio de Schurrle vai para fora. Um minuto depois, Lahm cruza e Muller cabeceia para defesa milagrosa de Mboulhi. A bola sobra com Schurrle que chuta, mas Belkalem consegue cortar para escanteio. No escanteio, Howedes cabeceia e novamente a zaga rebate. Aos 36, Muller recebeu dentro da área lançamento de Khedira, dominou, limpou o zagueiro Belkalem, mas bateu para fora.

Ainda deu tempo de mais um lançamento para Slimani cortado por Neuer fora da área, mas a partida acabou mesmo sem gols.

Prorrogação

Bastou 1 minuto e 40 segundos de prorrogação para Schurrle conseguir: jogada pela esquerda do ataque alemão, Muller cruzou por baixo e o camisa 9 bateu meio esquisito, mas venceu M’Boulhi.

O gol animou a Alemanha e forçou a Argélia a buscar o resultado. Com isso, os alemães puderam desfrutar pela primeira vez de contra-ataques. Aos 5 minutos, Muller achou Ozil que correu da altura do meio de campo até a área argelina. Ele tenta cortar o único zagueiro que o acompanhava, mas é cortado.

A partir daí, a Alemanha passou a controlar a partida, esfriando as chances dos argelinos, que sentiam também o cansaço. Aos 13 minutos, Slimani teve a grande chance da Argélia para empatar. Conseguiu receber um lançamento à frente da zaga, mas não teve pernas para ganhar na corrida e foi desarmado por Boateng.

Aos 14, a esperança africana praticamente acabou: contra-ataque alemão termina com Ozil, Schurle e Muller na área contra dois zagueiros. O camisa 8 toca, Schurrle bate de primeira e Benkalen corta. Ela sobra com Ozil que bate de esquerda pro fundo da rede.

Na sequencia, a Argélia ainda conseguiu diminuir em belo ataque. Slimani cruzou da direita e Djabou bateu de primeira para vencer Neuer. Mas ficou nisso mais uma partida excelente da Copa do Mundo, que não cansa de trazer novas surpresas.