Home Blogs Brasil pega o Uruguai por vaga na final e moral
Semifinais

Brasil pega o Uruguai por vaga na final e moral

Se ambos começaram o torneio com algo a provar, os brasileiros parecem ter avançado mais em seu propósito do que os eternos carrascos da Copa de 1950
Publicado por Nicolau Soares, do Futepoca
09:40
Compartilhar:   
Danilo Borges/Portal da Copa/ME
Treino Brasil

Time de Felipão corre para confirmar a recuperação do prestígio perdido

Brasil e Uruguai enfrentam-se nesta quarta-feira, às 16h, no Mineirão, pela primeira semifinal da Copa das Confederações. Se ambos começaram o torneio com algo a provar, os brasileiros parecem ter avançado mais em seu propósito do que os eternos carrascos da Copa de 1950.

Depois de uma primeira fase excelente em termos de resultados, o time escalado por Felipão começou a conquistar a confiança dos torcedores. Foram três partidas convincentes da equipe, num crescendo de dificuldade e tradição: o fraco Japão, a asa negra México e o fecho de ouro com o 4 a 2 sobre a Itália, primeira vitória contra um campeão mundial em um bom tempo. Tá certo que a Azurra não tinha o craque Pirlo, mas o Brasil também teve lá seus desfalques (antes e durante a partida) e deu conta do recado.

Assim, Felipão mantém a formação que se firmou como titular, com a volta de Paulinho para o meio-campo no lugar de Hernanes. E, mais importante que isso, Neymar joga, passando por cima dos sustos que deu no treino desta terça, quando por duas vezes foi atendido pelo médico da equipe. O futuro parceiro de Messi brilhou nos três jogos, com um gol em cada e pelo menos uma jogadaça no gol de Jô contra o México.

De sua parte, a Celeste fez pouco mais que o suficiente na primeira etapa do torneio. Na prática, conquistou sua vaga ao vencer apertado a Nigéria por 2 a 1, no único jogo com algum grau de imprevisibilidade do grupo. Porque o resto confirmou a barbada prevista: todo mundo perdeu da Espanha, todo mundo sacolou o Taiti.

Óscar Tabárez fechou o último treino, mas é razoável supor que Diego Forlán tenha recuperado a titularidade após resolver com um golaço a partida-chave, contra a Nigéria. De público, o treinador acompanhou seu capitão, Diego Lugano, nas preocupações sobre o árbitro da partida, o chileno Enrique Osses. Segundo o ex-sãopaulino, as federações de Brasil e Chile têm uma boa relação, o que preocupa os uruguaios. Lugano também comentou que Neymar é “habilidoso em simular faltas”, o que também é motivo de procupação. Olha, numa coisa Lugano está certo: se preocupar com Neymar.