Home Cultura Música e poesia se fundem no álbum “Folhuda”, da cantora Juliana Perdigão
Notas e versos

Música e poesia se fundem no álbum “Folhuda”, da cantora Juliana Perdigão

Terceiro álbum da multi-instrumentista apresenta canções criadas a partir da obra de grandes poetas brasileiros
Publicado por Luciano Velleda, para a RBA
11:40
Compartilhar:   
Divulgação

Juliana Perdigão apresenta o repertório de "Folhuda" no próximo dia 19, às 21 horas, no Centro Cultural São Paulo

São Paulo — A compositora, cantora e multi-instrumentista Juliana Perdigão é a convidada do programa Hora do Rango desta quarta-feira (11), a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. A artista mineira lançou esse ano seu terceiro álbum solo, Folhuda, composto por canções de autoria de Juliana feitas a partir de poemas escritos por Oswald de Andrade, Paulo Leminski, Murilo Mendes e os contemporâneos Arnaldo Antunes, Angélica Freitas, Fabrício Corsaletti, Renato Negrão e Bruna Beber.

Juliana atua como instrumentista em quase todas as 12 faixas que compõem o disco, seja tocando guitarra, violão, clarinete ou clarone, ao lado de músicos da sua geração. Na canção Torresmo, ela divide os vocais com Arnaldo Antunes, assim como com Lucas Santtana em Noturno, o violeiro, música sobre poema de Oswald de Andrade. Mulher Limpa, a primeira faixa do álbum, traz coros de Ava Rocha, Angélica Freitas (poeta parceira nesta canção), Cecília Lucchesi, Iara Rennó e Tulipa Ruiz. 

A artista apresenta o repertório de Folhuda no Centro Cultural São Paulo, no próximo dia 19, às 21 horas. No show, além das músicas do disco, canções de Jards Macalé, Torquato Neto e Augusto de Campos, acompanhada de Moita (guitarra), Gongom (bateria), João Antunes (baixo) e Paulim Sartori (teclado).

A cantora e compositora lançou seu primeiro disco em 2012, intitulado Álbum Desconhecido, com repertório de canções inéditas de Tulipa Ruiz, Makely Ka, LG Lopes, Gustavo Ruiz, e participações especiais de André Abujamra e Benjamim Taubkin.

Em 2016, ela lançou seu segundo álbum, Ó, nome inspirado na interjeição “Oh” emprestada de Galáxias, um dos poemas mais famosos do poeta brasileiro Haroldo de Campos — ela musicou três de seus versos. No repertório de Ó estão presentes canções de compositores como Romulo Fróes e Guilherme Held, com participações de Zé Celso e Tulipa Ruiz.

No programa, Juliana Perdigão fala do último álbum, do show que está por vir e, claro, toca e canta ao vivo algumas de suas músicas.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.