Home Cultura Letras politizadas e som “mais urbano” marcam o segundo álbum da banda Pietá
Recado incontido

Letras politizadas e som “mais urbano” marcam o segundo álbum da banda Pietá

No programa "Hora do Rango", grupo fala sobre os caminhos do disco recém lançado, "Santo Sossego"
Publicado por Luciano Velleda, para a RBA
07:08
Compartilhar:   
Francisco Costa/Divulgação

Músicos e atores, Frederico Demarca, Juliana Linhares e Rafael Lorga formam a Pietá

São Paulo — A banda Pietá é a convidada desta quarta-feira (31) do programa Hora do Rango, a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. O trio formado por Juliana Linhares (voz), Frederico Demarca (violões) e Rafael Lorga (bateria) acaba de lançar o seu segundo álbum, Santo Sossego. No disco, o grupo aposta em letras engajadas e uma sonoridade contundente, com sintetizadores e guitarras plugadas, ao contrário da atmosfera acústica do álbum de estreia, Leve o que quiser, lançado em 2015. O som mais cru e urbano, entretanto, ainda abre espaço para momentos em busca da tranquilidade de viver em meio ao caos da vida agitada.

“Nós buscamos brincar com espiritualidades abertas, com um tipo de dramaturgia que tangencia esse lugar, mas traz absolutamente outros espaços”, explica a vocalista Juliana Linhares. O novo disco tem as participações dos cantores Josyara, Ilessi, Livia Nestrovski, Khrystal e Caio Prado.

Pietá surgiu em 2012, oriunda do encontro dos músicos Frederico Demarca, Rafael Lorga e da cantora Juliana Linhares. Também atores, o trio se conheceu na faculdade de teatro e decidiu se reunir para “fazer um som”. Ancorados no canto de Juliana Linhares, apontada como uma das grandes vozes da nova geração da música brasileira, a banda mistura a tradição e o popular, ritmos regionais nordestinos com o samba e a literatura. 

No novo álbum, a faixa Suçuarana, por exemplo, homenageia a força da mulher, enquanto em Jabaculê, o tema é a moral conservadora, incluindo um trecho de Evangelho segundo Jesus, peça estrelada pela atriz trans Renata Carvalho e censurada em alguns teatros em 2018.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.