#SOSAmapá

Em vídeo, artista denuncia: Amapá está ‘no escuro’ há mais de 30 anos

Em vídeo, designer e ilustradora Tami Martins denuncia a exploração predatória das riquezas naturais do Amapá por empresas estrangeiras, interessadas em manter o estado na invisibilidade. Energia foi restabelecida nesta terça

Governo do Amapá
Mineração de manganês no Amapá: estado é vítima de atividades predatórias. Riqueza para poucos, prejuízos socioambientais para todos

São Paulo – O Amapá é dos estados brasileiros mais ricos em recursos naturais. Em seu território está o maior parque nacional em floresta tropical do mundo, o Montanhas do Tumucumaque, e um patrimônio arqueológico dos mais importantes do mundo. O que mais interessa por lá, porém, são minérios como ouro, manganês, ligas de ferro, bauxita e tantos outros, explorados de maneira predatória por empresas dos Estados Unidos, Noruega, Holanda e China. Os desmatamentos são frequentes no estado, não tendo a devida atenção do governo federal, que não destina recursos suficientes para a proteção ambiental, tudo para que se mantenha uma política de exploração.

A denúncia é da artista amapaense Tami Martins. Em um vídeo de sua autoria divulgado em seu canal no Youtube, ela contextualiza a situação do estado, “invisível” ao restante do país. “Em 3 de novembro, o apagão no Amapá foi causado por um incêndio em uma subestação na capital, deixando sem energia elétrica quase o estado inteiro. Mais de 800 mil pessoas ficaram sem água encanada e sem acesso a água potável, em meio a uma pandemia. Crescem os casos de covid devido a aglomerações em filas para conseguir água e comida”, diz trecho da narração.

Amapá invisível

“É de interesse político que o Amapá continue quase invisível, pois assim seguem concedendo a exploração do estado a empresas que realizam obras precárias e de maneira predatória, causando devastação e sérias consequências ambientais e sociais. É para perpetuar o enriquecimento ilícito de empresas, sobretudo estrangeiras, que o Amapá está hoje e há tantos anos no escuro”.

Em seu canal no Youtube, Tami expressa sua indignação. “Ser amapaense sempre foi estar num dos lugares mais incríveis do planeta e com a pior administração pública. Eu queria ilustrar esse sentimento para compartilhar com você.”

Assista

Energia restabelecida

Na madrugada desta terça-feira (24), o transformador levado de Laranjal do Jari para Macapá, capital do Amapá, entrou em funcionamento, segundo informação da Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE).

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) – responsável pela distribuição – disse que 100% da energia foi restabelecida às 5h nos 13 municípios afetados pelo apagão desde o dia 3 de novembro.

Assim, se encerra o cronograma de rodízio de energia implantado pela CEA desde o dia 7 de novembro, quatro dias após o apagão, que deixou mais de 750 mil pessoas no escuro