Dores e perdas

No Dia de Finados, atos pelo país relembram vítimas de crimes ambientais

Mobilizações chamam atenção para as tragédias de Mariana e Brumadinho, a devastação da Amazônia e o vazamento de óleo no litoral do Nordeste. Em São Paulo, ação ocorre às 11h, no Vão Livre do Masp

Antonio Cruz/EBC
Em memória das vítimas e em defesa das políticas públicas, "Finados Ambiental" ocorre também em Aracaju e Recife

São Paulo – No feriado do Dia de Finados, neste sábado (2), organizações da sociedade civil relembrarão as vítimas de crimes ambientais e prestarão homenagens de respeito e solidariedade às suas famílias e ao ecossistema, em manifestações chamadas “Finados Ambiental”. Atos já estão confirmados em São Paulo, no vão livre do Masp, em Recife, no Marco Zero da cidade, e Aracaju,  na Praça do Caranguejo, todos previstos para às 11h, com cortejo fúnebre e com os manifestantes vestidos de preto.

A ação marca os quase quatro anos do crime ambiental da Samarco (subsidiária da Vale) na cidade de Mariana (MG), em que 19 pessoas foram mortas após o rompimento da barragem de Fundão, que contaminou o rio Doce e alguns afluentes com lama de rejeitos. Lembra ainda os nove meses do desmoronamento de outra barragem da mineradora Vale, que deixou 250 mortos e 18 pessoas desaparecidas em Brumadinho, também em Minas Gerais. A qualidade das águas do rio Paraopeba na região também foi comprometida.

O aumento no número de queimadas e  o avanço do desmatamento no bioma da Amazônia também serão lembrados nos atos, que chamarão atenção para a importância de políticas públicas ambientais e contestarão os que “insistem em enxergar o meio ambiente como entrave, seja flexibilizando leis ou destruindo a natureza”, uma referência indireta ao governo de Jair Bolsonaro que, atualmente, vem sendo criticado pela demora na proposição de ações diante do vazamento de óleo no litoral no Nordeste, que já atingiu mais de 260 pontos.

Ainda sem respostas sobre a dimensão dos impactos ocasionados pelas manchas, as comunidades e os voluntários que trabalham para retirar os resíduos das praias correm sério risco de serem diretamente afetados, em especial por contaminações pelo petróleo bruto, mas também em suas economias, pelo prejuízo à pesca e ao turismo.

Convocando a população dos outros estados a aderirem ao Finados Ambiental, a diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota,  uma das organizadoras do ato em São Paulo, faz um apelo. “Este ato simboliza um chamado para a sociedade em prol da vida e dos patrimônios naturais do Brasil, por um ambiente melhor, mais seguro e sadio para as pessoas. É um momento de urgência e precisamos da participação e engajamento de todos nessa luta. É da vida de todos que estamos falando”, destaca.

Leia também

Últimas notícias