'Declaração do Recife'

Governadores do Nordeste assinam documento com compromissos sustentáveis

Conferência Brasileira de Mudança do Clima teve início, nesta quarta-feira (7), em Recife; Entidades apresentaram diretrizes de desenvolvimento sustentável para o poder público, empresas e a sociedade

Marcelo Camargo/EBC
O documento contém metas para priorizar o Acordo de Paris, que tem como pauta central a redução da emissão de gases e efeito estufa em 45%, até 2030

São Paulo – A Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada em Recife, teve início nesta quarta-feira (6) e vai até a próxima sexta-feira (8). Na abertura do evento, representantes de estados do Nordeste assinaram a Declaração do Recife, que representa diretrizes de desenvolvimento sustentável para o poder público, empresas e a sociedade.

O documento contém metas para priorizar o Acordo de Paris, que tem como pauta central a redução da emissão de gases e efeito estufa em 45%, até 2030. Ainda durante a conferência, a Associação Brasileira de Entidades Estaduais do Meio Ambiente (Abema), também apresentou a carta de órgãos ligados à pauta que ratifica os impactos do clima na escala regional.

O prefeito de Recife, Geraldo Julio (PSB), assinou um decreto reconhecendo a emergência climática no município, que é apontado como o 16º mais vulnerável às mudanças do clima, segundo o painel intergovernamental de mudanças climáticas. “Muitas cidades do mundo já fizeram isso e, agora, nós podemos estabelecer metas na emissão de carbono”, disse em entrevista à repórter Nahama Nunes, da Rádio Brasil Atual.

A governadora do Rio Grande do Norte, Fatima Bezerra (PT), detalhou os desafios para reduzir a emissão de gases. “Precisamos combinar desenvolvimento com sustentabilidade. A conferência também acontece num momento singular, em meio a um desastre ambiental na região Nordeste”, afirmou.

Ouça a reportagem completa