jovens na luta

Incêndios na Amazônia despertam as pessoas para a importância da pauta ambiental, diz bióloga

Em cidades de mais de 150 países foram realizados atos na Greve Global pelo Clima, em defesa do meio ambiente

marcelo frazão/agencia brasil
Integrante da Coalização pelo Clima lembra que os jovens têm papel fundamental na resistência por políticas climáticas, mas vê uma falta de engajamento da população brasileira

São Paulo – O Brasil e mais outros 150 países registraram protestos, na última sexta-feira (20), em defesa do meio ambiente, na Greve Global pelo Clima. A pauta mobilizou pessoas de diversas faixas etárias, etnias e movimentos. Para Marcela Batista Durante, bióloga e integrante da Coalizão pelo Clima, o potencial das manifestações cresceu após as medidas do governo Jair Bolsonaro em relação à preservação do meio ambiente.

“Tudo isso que está acontecendo é um novo momento de mobilização da juventude, que mostra não aceitar essas medidas desse governo. O fogo na Amazônia fez as pessoas perceberem como a pauta ambiental mobiliza a sociedade”, disse ela, em entrevista à jornalista Marilu Cabanas, da Rádio Brasil Atual.

Marcela participou da manifestação realizada em São Paulo, no vão livre do Masp. Ela conta que o número de crianças e adolescentes chamou a atenção, assim como em outros lugares do mundo. “Foi um ato muito bonito e diverso, com a presença de crianças, que deram outra cara para a manifestação. Foi um marco, a questão climática está chegando com força nos noticiários, na assembleia da ONU, portanto, aos poucos, estamos atingindo as autoridades para alcançar as políticas ambientais necessárias, como a redução da emissão de gases do efeito estufa”, celebrou.

Ao falar do papel dos jovens na defesa do meio ambiente, a bióloga citou a ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, que realizada a Fridays For Future (sextas pelo futuro), na qual deixa de ir a aulas nas sextas para protestar. “Ela tem um papel fundamental, por ser tão jovem e conseguir apontar todos os gargalos que precisam ser encarados para superar a crise climática”, afirmou.

A integrante da Coalizão pelo Clima lembra que os jovens têm papel fundamental na resistência por políticas climáticas, mas vê ainda uma falta de engajamento da população brasileira. “O engajamento poderia ser maior. A questão política do país, a falta de investimentos em educação, a gente não tem a noção da crise climática no Brasil, e isso vem aos poucos. O papel da mídia é fundamental nesse processo, fala-se muito da Greta, mas esquecem de mostrar o que é feito pela população brasileira e as articulações locais”, acrescentou.

Leia também

Últimas notícias