Alerta

Moradores de duas cidades de Minas deixam suas casas por riscos com barragens

Ordens de evacuação foram dadas após exames constatarem que barragens da Vale e da ArceloMittal estão a ponto de romper. Operações afetaram cerca de 700 pessoas

Google Maps/Reprodução
Barão de Cocais

Região da Mina Gongo Soco, perto de Barão de Cocais, onde 500 pessoas foram evacuadas

São Paulo – Duas semanas depois da tragédia da Vale, em Brumadinho, que até o momento deixou 152 mortos e 182 desaparecidos, moradores das cidades de Barão de Cocais e Itatiaiuçu, também em Minas Gerais, foram evacuados das suas casas, após sirenes tocarem durante a madrugada desta sexta-feira (8), alertando para o risco de novos rompimentos de barragens de mineração

Em Barão de Cocais, que fica a 100 quilômetros de Belo Horizonte, cerca de 500 pessoas das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras tiveram de deixar suas casas após alerta de que a Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, também da Vale, por volta de 1h. Os moradores foram encaminhados para o ginásio poliesportivo, onde ficarão abrigados temporariamente. A prefeitura informa que trabalha para realocar os moradores em hotéis da região. 

A retirada dos moradores foi determinada pela Agência Nacional de Mineração (ANM), após a Vale ter informado que estaria dando início ao nível 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM), após uma empresa de consultoria contratada pela mineradora ter negado a Declaração de Condição de Estabilidade da estrutura. Quando há rompimento, é ativado o nível três do plano. 

Congonhas

As Defesas Civis do estado e do município foram então acionadas e, juntamente com a ANM, decidiram acionar o nível 2 do plano, determinando a evacuação. A prefeitura informa que o procedimento é preventivo e, por ora, não há necessidade de doações aos moradores. 

Já a Vale diz que está intensificando as inspeções na barragem, com a visita de consultores internacionais no próximo domingo (10). A mineradora afirmou também que um equipamento com capacidade de detectar movimentações milimétricas na estrutura será instalado, sem dizer exatamente quando.

Itatiaiuçu

Moradores do povoado de Pinheiros, em Itatiaiuçu, que fica na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram acordados por volta de 3h da madrugada, pelas sirenes da barragem da Mina de Serra Azul, da mineradora ArcelorMittal. Cerca de 200 famílias foram levadas para um hotel em Itaúna, na região centro-oeste do estado, após ser acionado o nível 2 do PAEBM.

A barragem tem 90 metros, com inclinação de 35 graus e 5,2 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Eventual rompimento atingirá o Rio Manso e parte da BR 381, que vai do Espirito Santo a São Paulo, passando por Minas.

Segundo a mineradora, a ação de evacuação ocorreu também após trabalho de avaliação ser realizado na barragem. Os auditores responsáveis revisaram então o último relatório de segurança da barragem, adotando um “Fator de Segurança” mais restritivo. A ArcelorMittal justifica também a ação após o “aprendizado decorrentes dos eventos da barragem do Feijão, em Brumadinho”. 

“A decisão tomada foi de evacuar todos os residentes enquanto testes adicionais estarão sendo tomados e qualquer medida de mitigação possa ser implementada”, afirmou a mineradora, sem informar objetivamente se havia risco de rompimento da barragem.