Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2018 / 05 / Metalúrgicos da Mercedes-Benz no ABC entram em greve

Impasse

Metalúrgicos da Mercedes-Benz no ABC entram em greve

Sindicato e montadora não chegam a acordo sobre reajuste salarial e PLR
por Redação RBA publicado 14/05/2018 16h28
Sindicato e montadora não chegam a acordo sobre reajuste salarial e PLR
Edu Guimarães/SMABC
metalúrgicos

Assembleia nesta segunda-feira decidiu pela paralisação até que empresa apresente uma proposta

São Paulo – Os trabalhadores na Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (14), eles resolveram parar até que a montadora apresentasse uma proposta de acordo relativa à campanha salarial. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a empresa negociam desde abril. Amanhã, a partir das 7h30, haverá nova assembleia.

Segundo o secretário-geral do sindicato, Aroaldo Oliveira, também funcionário da Mercedes, as negociações têm impasse sobre o índice de reposição salarial e da participação nos lucros ou resultados (PLR). "A empresa não aceita incorporar o reajuste aos salários e este é um dos pontos principais que está emperrando as negociações. Queremos a reposição incorporada aos salários dos trabalhadores. Também reivindicamos que o cálculo da PLR leve em conta a exportação dos itens agregados (motor, câmbio, eixos)", afirmou.

Ainda de acordo com o dirigente, a empresa pretende cortar pessoal da área administrativa (mensalistas). "Não podemos aceitar demissões num momento de retomada da produção", criticou Aroaldo. 

Ele destacou ainda divergência sobre a renovação de cláusulas sociais. Segundo o sindicalista, a empresa quer retirar do acordo coletivo itens como estabilidade ao trabalhador acidentado e a complementação salarial por até 120 dias de afastamento. Além de defender a manutenção desses pontos, os metalúrgicos querem inclusão de uma cláusula de "salvaguarda" relativa à "reforma" trabalhista (Lei 13.467), para que qualquer alteração só seja implementada mediante negociação.

Em março, a Mercedes anunciou 330 contratações de horistas (área de produção), 250 para São Bernardo e 80 para Juiz de Fora (MG). Com aproximadamente 8.050 funcionários, a fábrica do ABC produz caminhões.