Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2017 / 10 / Deputada denuncia desmonte na Polícia Civil de SP ao Ministério Público

Segurança pública

Deputada denuncia desmonte na Polícia Civil de SP ao Ministério Público

Déficit de profissionais causa problemas em investigações, perícias e no atendimento à população. Último concurso teve baixa convocação
por Redação RBA publicado 10/10/2017 11h16, última modificação 10/10/2017 11h16
Déficit de profissionais causa problemas em investigações, perícias e no atendimento à população. Último concurso teve baixa convocação
Gabriel Cabral/Folhapress
PC

Cargo de perito da Polícia Civil é dos que têm o maior déficit de profissionais, prejudicando as investigações

São Paulo – A deputada estadual Marcia Lia (PT) denunciou ao Ministério Público do Estado de São Paulo que a Polícia Civil paulista passa por situação de desmonte. Segundo a parlamentar, todas as carreiras do segmento apresentam déficit de profissionais, com variação de 17% para delegados até 40% para atendente de necropsia. O cargo de investigador de polícia, por exemplo, tem déficit de 2.947 profissionais, ou 25% do número de vagas em todo o estado. No último concurso aberto pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB), 58% dos aprovados foram convocados.

O concurso realizado em 2013 abriu 1.348 vagas para vários cargos, mas apenas 787 aprovados foram efetivados. O cargo de perito criminal tem 1.735 postos no estado, dos quais 712 (41%) estão vagos, provocando atrasos nas perícias e laudos. Já fotógrafo criminal tem um déficit de 33%, ou 261 postos vagos. Dos 645 municípios paulistas, 256 não têm delegado titular. Segundo a representação apresentada pela deputada, o efetivo da perícia está estagnado há 24 anos.

“Vemos a polícia perdendo funcionários por exonerações, aposentadorias e mortes. As condições de trabalho para quem já está lá são difíceis, porque eles fazem o trabalho de duas, três pessoas, segundo nos contam. A segurança pública fica comprometida enquanto outros cidadãos estão prontos para ocupar essas vagas. Não encontramos outro caminho senão acionar o Ministério Público”, justificou Márcia Lia. A denuncia foi feita em 27 de setembro e requer que seja instaurada uma Ação Civil Pública visando à contratação de profissionais.

Há concursos que já perderam validade sem que os aprovados fossem convocados para contratação. Por isso, no ano passado, diante de tantas reclamações da mesma natureza, a deputada apresentou o Projeto de Lei Complementar (PLC) 28/2016. O texto regula todo o processo de realização dos concursos públicos, desde a escolha da empresa que fará a prova até a determinação de contratação de todos os aprovados, passando pelo impedimento da realização de concursos apenas para cadastro de reserva.

A não recomposição do quadro leva ao agravamento da situação de déficit. Desde o início do ano, somente duas funções na Polícia Civil tiveram algum aumento do número de profissionais: Perito e Médico Legista. Todas as outras apresentaram novas quedas, conforme a tabela abaixo. 

Polícia Civil