Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2015 / 04 / Força vai manter discurso de oposição a Dilma no Dia do Trabalho

1º de maio

Força vai manter discurso de oposição a Dilma no Dia do Trabalho

Ato contará com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do candidato derrotado à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves
por Redação RBA publicado 30/04/2015 19h05, última modificação 30/04/2015 19h42
Ato contará com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do candidato derrotado à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves
Força Sindical/Divulgação
força

A Força calcula que, no ano passado, 1,2 milhão de pessoas participaram das comemorações de 1º de maio

São Paulo – O ato de comemoração do Dia do Trabalho da Força Sindical em São Paulo vai centrar críticas na política econômica da presidenta da República, Dilma Rousseff. As medidas provisórias 664 e 665, relativas ao ajuste fiscal, o crescimento da inflação e do desemprego, assim como o aumento da taxa de juros, serão os principais pontos do discurso dos sindicalistas. “Não podemos permitir, em hipótese alguma, que os trabalhadores brasileiros arquem com o ônus de uma crise que eles não provocaram”, defendeu o presidente da central, Miguel Torres, em artigo no site da entidade.

Também em artigo, o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho, presidente licenciado da central, defendeu que o Brasil perdeu o rumo, a indústria está encolhendo e a corrupção na Petrobras ameaça empregos em todo o Brasil. “Dilma mudou a equipe econômica do governo e praticamente admitiu que o país estava quebrado. E resolveu jogar a conta nas costas do trabalhador. Dificultou o pagamento do seguro-desemprego, cortou pela metade a pensão por morte, reduziu o abono do PIS e restringiu o pagamento do seguro-defeso dos pescadores”, argumentou Paulinho, que, por meio de seu partido, vem buscando adesões para um processo de impeachment contra Dilma.

O deputado vem sendo criticado por outras centrais sindicais por ter apoiado a aprovação do PL 4.330, que, segundo ele, trará resultados positivos para os trabalhadores. “Antes eles viviam em uma terra de ninguém, sob desrespeitos e desigualdade, e agora passam a ter um aporte trabalhista forte e de mesmos benefícios como os da CLT”, disse a metalúrgicos de São Paulo, no início de abril.

Em manifestação contra o projeto da terceirização, trabalhadores ligados à CUT, CTB, Nova Central, Intersindical e CSP-Conlutas, além de militantes de movimentos sociais, queimaram bonecos que representavam Paulinho – chamado de “traíra” pelos manifestantes –, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Neste ano, o lema das comemorações será “Crescimento Econômico com Garantia de Direitos e Empregos”, e vai ocorrer na Praça Campo de Bagatelle, próximo à estação Santana do metrô, na zona norte de São Paulo, a partir das 9h. O evento da Força contará com a participação do ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, de Eduardo Cunha e do senador e candidato derrotado à Presidência da República Aécio Neves (PSDB-MG).

Sem qualquer citação ao PL 4.330, de 2004, que tem o apoio da Força Sindical e libera a terceirização de qualquer atividade pelas empresas, as bandeiras defendidas pela entidade serão a correção da tabela do Imposto de Renda proporcional à inflação – em fevereiro, Dilma corrigiu a tabela em 4,5% –, redução da jornada de trabalho para 40 horas, a manutenção da política de valorização do salário mínimo e o fim do fator previdenciário. Esses itens também são defendidos pelas outras centrais, que têm uma pauta unificada sob o nome de agenda da classe trabalhadora.

Além do ato político, a comemoração do Dia do Trabalho da Força terá distribuição de prêmios, incluindo 19 carros. Também haverá shows de Bruno & Marrone, Paula Fernandes, Leonardo, Zezé di Camargo & Luciano, Inimigos da HP, Os Travessos, Latino e João Bosco e Vinícius, entre outros.

Confira os locais

São Paulo

9h – Praça Campo de Bagatelle, próximo à estação Santana do metrô

Rio de Janeiro

Capital

9h – Quadra da Unidos da Tijuca

Duque de Caxias

7h – O Sítio Mazzaropi fica na avenida dos Coqueiros,375, Santa Cruz da Serra, – RJ

Nova Iguaçu

9h – Quadra da Leão de Nova Iguaçu

Minas Gerais

Itabirito

9h – Praça da Estação, centro

Ouro Branco

12h – Praça de Eventos, centro

Juiz de Fora

8h30 – Praça Antônio Carlos, centro

Uberlândia

14h – Parque do Sabiá, Zona Leste

Santa Rita do Sapucaí

8h – Av Sinhá Moreira, Conceição dos Ouros e Cachoeira de Minas

Rio Grande do Sul

Porto Alegre

14h – Praça México, bairro Leopoldina

Gravataí

8h30 – Avenida Ely Corrêa, 1001, Parque dos Anjos

Belém

10h – Aldeia Amazônica – Av. Pedro Miranda, Pedreira

São José dos Pinhais – PR

12h – BioParque: avenida das Torres, próximo à entrada de São José dos Pinhais.

Manaus

8h – Evento do Sindicato dos Trabalhadores em Condomínio (Clube dos Empregados do Incra, Rua Nova, 321 – Bairro Aleixo).

8h – Evento do Sindicato dos Aquaviários (Rua Xavier de Mendonça, Bairro Aparecida).

Cuiabá

8h30 – Arena da Acrimat – Av. Beira Rio (só para associados)

Campo Grande

8h30 – Praça do Rádio Clube, centro

Natal

9h – Largo Dom Bosco, praça Augusto Severo, bairro da Ribeira

Santa Catarina

Itajaí

13h – Vila da Regata – ao lado do Centro Eventos da Marejada

Chapecó

8h – Largo da Catedral Santo Antônio, na Praça Coronel Ernesto Bertaso