Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2012 / 09 / MEC informa fim da greve de professores em 19 federais

MEC informa fim da greve de professores em 19 federais

por Redação da RBA publicado , última modificação 06/09/2012 08:54
Comments

São Paulo – O Ministério da Educação informou em nota que terminou ontem (5) a greve de professores das universidades federais de Minas Gerais (UFMG), de Pernambuco (UFPE) e do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Com isso, segundo o governo federal, são 19 as instituições de ensino nas quais os docentes decidiram retomar o calendário de aulas.

Entre as universidades que deliberaram ontem pelo fim do movimento de reivindicação, a Federal de Minas Gerais vai retornar às atividades acadêmicas de imediato e deve discutir ainda hoje o calendário de reposição dos dias parados. De acordo com o MEC, a universidade da Fronteira Sul (UFFS) decidiu suspender a greve e na próxima semana haverá assembleias em Juiz de Fora (UFJF), Grande Dourados (UFGD), Recôncavo Baiano (UFRB) e Alfenas (Unifal).

Em algumas instituições, a greve foi iniciada há mais de cem dias. O Ministério do Planejamento e o MEC encaminharam proposta ao Congresso de aumento entre 25% e 40% aos docentes, a depender do nível de ensino, até 2015. Os recursos investidos serão de R$ 4,2 bilhões.

Inicialmente, a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes) foi a única que aceitou o reajuste. Já os integrantes da base do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) optaram em um primeiro momento pela manutenção da greve e cobraram a retomada das negociações. Mas, no começo desta semana, a própria entidade admitiu que era preciso avaliar a possibilidade de dar fim à greve.

Até agora, segundo o MEC, retomaram as atividades as universidades federais do Rio de Janeiro (UFRJ); do Ceará (UFC); de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); do Rio Grande do Sul (UFRGS); de Santa Catarina (UFSC); de São Carlos (UFSCar); da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) e a Universidade de Brasília (UnB). Também voltaram às aulas os professores dos câmpus de Araguaína, da Universidade Federal do Tocantins (UFT); de Guarulhos, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); e de Alegrete, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa).

comentários do blog alimentados pelo Disqus