Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2012 / 03 / Vagner Freitas é confirmado para disputar a presidência nacional da CUT

Vagner Freitas é confirmado para disputar a presidência nacional da CUT

Indicação ocorreu hoje, em plenária da Articulação Sindical, principal corrente interna da entidade. Freitas celebra maturidade e legitimidade do processo de disputa. Congresso será em julho
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 19/03/2012 18h58, última modificação 19/03/2012 23h27
Indicação ocorreu hoje, em plenária da Articulação Sindical, principal corrente interna da entidade. Freitas celebra maturidade e legitimidade do processo de disputa. Congresso será em julho

Quase 400 militantes da Articulação participaram da plenária que indicou o bancário de São Paulo para a sucessão de Artur Henrique na CUT (Foto: divulgação)

São Paulo – O bancário Vagner Freitas foi escolhido candidato da Articulação Sindical, principal corrente interna da CUT, para disputar a presidência da central. A indicação praticamente o qualifica para o comando da entidade a partir de julho, quando será realizado o 11º Congresso Nacional da CUT (Concut). A Articulação tradicionalmente tem ampla maioria no encontro. 

Freitas disse que o desafio a partir de agora passa a ser dialogar com as demais correntes com objetivo de formar uma chapa unitária para dirigir a central nos próximos três anos. "Precisamos ter a capacidade de construir uma chapa única da CUT", afirmou, no encerramento de plenária nacional da Articulação, realizada hoje (19) na quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, na região central de São Paulo. Disputava a indicação o também bancário Jacy Afonso, ex-presidente do sindicato da categoria em Brasília e atual secretário de Organização na executiva da central.

Durante a plenária, que durou sete horas e reuniu quase 400 delegados, foi discutido um acordo para unificar a chapa da Articulação. Jacy afirmou que eventuais opiniões divergentes não impedirão um trabalho coletivo. "Serei um companheiro leal na executiva. Teremos um trabalho conjunto", afirmou, reiterando a defesa do diálogo com as demais correntes políticas atuantes na central e lembrando que várias de suas propostas serão incorporadas pela Articulação, com a preocupação de refletir sobre os rumos da central nos próximos dez anos. Ele destacou a atuação do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, na composição obtida hoje. A preocupação era garantir a escolha do nome antes de julho, para evitar que o congresso ficasse concentrado no debate sobre a sucessão. 

Freitas, de 45 anos, nasceu em Sapopemba, bairro na zona leste de São Paulo. Em fevereiro de 1987, foi contratado como caixa do Bradesco. Filiou-se logo depois ao Sindicato dos Bancários de São Paulo e passou a integrar a diretoria da entidade em 1991. Presidiu a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e em 2009 entrou para a direção executiva da CUT – atualmente, é secretário de Administração e Finanças. Confirmada sua vitória em julho, será o primeiro representante do ramo financeiro na presidência da CUT, criada em 1983. Os presidentes até agora foram do ramo metalúrgico (Jair Meneguelli, Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, e Luiz Marinho), da educação (João Felício) e do setor elétrico (Artur Henrique).

Ele agradeceu "a todos os ramos e categorias" que atuam na central e homenageou dois ex-dirigentes bancários, João Vaccari Neto e Gilmar Carneiro dos Santos, além de uma "deferência especial" a João Felício e Artur Henrique, ex e atual presidente da CUT. Também fez referência ao trabalho que será feito ao lado de Jacy e acrescentou que houve uma demonstração de "maturidade" da Articulação. "A partir de agora, estaremos marchando juntos. Aqui não tem vencidos ou vencedores, tem companheiros que fizeram um processo legítimo de disputa."