Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2012 / 03 / Após manifestação na rodovia Anchieta, sindicalistas negociam com o governo

Após manifestação na rodovia Anchieta, sindicalistas negociam com o governo

Metalúrgicos chamaram a atenção para itens como isenção de Imposto de Renda na PLR e medidas de proteção à indústria. Amanhã, bancários atrasam início de atividades em São Paulo e representantes de diversas categorias farão ato diante da sede do BC
por Redação da RBA publicado , última modificação 21/03/2012 17h56
Metalúrgicos chamaram a atenção para itens como isenção de Imposto de Renda na PLR e medidas de proteção à indústria. Amanhã, bancários atrasam início de atividades em São Paulo e representantes de diversas categorias farão ato diante da sede do BC

Segundo os organizadores, o ato reuniu aproximadamente 20 mil trabalhadores (Foto: Raquel Camargo/Sindicato dos Metalúrgicos do ABC)

São Paulo – Após manifestação que reuniu na manhã de hoje (21) milhares de trabalhadores no km 14 da rodovia Anchieta, entre São Bernardo e São Paulo, representantes dos metalúrgicos viajaram para Brasília, para uma reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. A principal reivindicação, tema do ato de hoje, é a isenção de Imposto de Renda no pagamento de prêmios de participação nos lucros ou resultados (PLR). O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, disse que o objetivo era chamar a atenção da população para essa questão, além da defesa da produção e do emprego na indústria.

"Os empresários que retiram milhares não pagam um centavo de imposto. É corrigir uma injustiça em primeiro lugar", disse Nobre. Segundo ele, a isenção do imposto também para ajudar a aquecer a economia. "A indústria não cresceu em 2011. O setor automobilístico recuou 20% em janeiro e fevereiro, se comparado ao ano passado. Quando você isenta os trabalhadores, eles irão consumir mais", pontuou.

Segundo os organizadores, o ato reuniu aproximadamente 20 mil trabalhadores, entre metalúrgicos da Ford e da Mercedes-Benz. Eles se concentraram a partir das 6h e chegaram à Anchieta por volta de 9h30, permanecendo no sentido litoral da rodovia até as 10h15. Os manifestantes ocuparam as quatro faixas da pista marginal, deixando a via central liberada para o trânsito.

As propostas dos sindicalistas incluem, além da PLR, aumento do crédito para pessoa física, redução das taxas de juros, incentivo à compra de caminhões pesados do modelo Euro 5 (menos poluentes) e criação de um programa de renovação da frota de ônibus urbano. A reunião com o ministro está prevista para as 15h30.

Amanhã (22), será a vez de os bancários realizarem atividades pela isenção do Imposto de Renda na PLR. Segundo o sindicato da categoria em São Paulo, a partir das 7h trabalhadores vão retardar a abertura de agências e centros administrativos na região da avenida Paulista, área com 43 locais de trabalho. Às 11h, haverá um ato diante da sede do Banco Central em São Paulo com representantes de bancários, metalúrgicos, petroleiros, químicos e urbanitários. “A isenção do IR na PLR significa mais dinheiro no bolso do trabalhador e, consequente, o aquecimento da economia”, afirmou a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira. “A carga tributária no Brasil é injusta. Precisa ser direta e progressiva, de forma que quem ganha mais, pague mais.”

Com informações do jornal ABCD Maior