Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2010 / 03 / OIT recebe manifesto de bancários em favor do direito de greve

OIT recebe manifesto de bancários em favor do direito de greve

Categoria reclama que bancos usam instrumento jurídico para impedir a livre manifestação
por Redação da RBA publicado , última modificação 31/03/2010 14h12
Categoria reclama que bancos usam instrumento jurídico para impedir a livre manifestação

O Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região apresentou nesta quinta-feira (31) à Organização Internacional do Trabalho (OIT) um manifesto em favor do direito de greve. 

O documento, apresentado também por Central Única dos Trabalhadores (CUT), Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito de São Paulo (Fetec), é fruto de um seminário realizado na capital paulista para discutir o interdito proibitório.

Trata-se de um instrumento jurídico que poderia ser utilizado em situações nas quais exista algum tipo de ameaça aos direitos de posse. Os trabalhadores apontam que os bancos aproveitam-se da brecha deixada no Código Civil para convocar força policial que faz a repressão dos movimentos que reivindicam melhores condições para os bancários. O interdito é utilizado com muita freqüência desde o século passado na repressão a greves e na desocupação de fazendas.

O argumento da categoria é de que o direito de greve é garantido pela Convenção 87 da OIT, que trata de liberdade sindical e da qual o Brasil é signatário. “Proibição de manifestação, tentativa de inviabilização financeira e bloqueio de contas dos sindicatos por meio da aplicação de multas milionárias, além da criminalização dos representantes sindicais que por vezes chegam a ser presos durante os protestos. São essas as punições contra as entidades sindicais provocadas por meio da utilização inadequada do interdito proibitório”, diz Juvandia Moreira, secretária-geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

registrado em: , , ,