Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2010 / 01 / Sonegadoras de FGTS lesam 1 milhão de trabalhadores, segundo a Caixa

Sonegadoras de FGTS lesam 1 milhão de trabalhadores, segundo a Caixa

por Rafael Garcia, Jornal Brasil Atual publicado , última modificação 13/01/2010 12h13

Na análise do balanço de 2008, a Caixa Econômica Federal indentificou cerca de 300 mil empresas inadimplentes com os depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), gerando um prejuízo de aproximadamente R$ 14 milhões, para quase um milhão de trabalhadores.

O Fundo foi criado em 1966 com o objetivo principal de amparar o trabalhador em caso de demissão sem justa causa. Os recursos do FGTS são alimentados pode depósitos mensais dos empregadores nas contas vinculadas dos trabalhadores, abertas na Caixa.

O representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Conselho Curador do FGTS, afirma que a entidade tem uma proposta para coibir a ocorrência desse tipo de ação. "A CUT vai apresentar um voto para criar um mecanismo de como fazer uma lista, da mesma forma que o Ministério do Trabalho faz uma 'lista suja' de quem emprega trabalho análogo ao escravo no Brasil, queremos uma lista dessas empresas (sonegadoras), para que não possam receber recursos dos bancos federais", explica. O objetivo é aprimorar o controle e garantir os depósitos.

Segundo a gerente de atendimento regional da Caixa em São Paulo, Lúcia Helena, a melhor forma de o empregado acompanhar se a empresa em que trabalha realiza os depósitos corretamente é por meio do extrato que o banco encaminha, a cada dois meses, ao trabalhador. "A Caixa disponibiliza um extrato à residência dele (trabalhador) onde consta o depósito do mês anterior e o que ele tem na conta", explica.

Caso o extrato não esteja chegando à casa do trabalhador, é possível que haja incorreção no endereço. "Nesse caso, é importante que seja atualizado o endereço para receber e ter condição de acompanhar, direitinho, como está a conta dele", sugere. Outras formas de conferir o saldo são pelo 0800 72 6010, pelo site da Caixa (www.caixa.gov.br), em serviços, e ainda cadastrar o celular para receber informações.

Se o trabalhador verificar irregularidade em sua conta do FGTS, a primeira atitude a ser tomada, segundo Jaci Afonso, é buscar ajuda do sindicato que representa sua categoria.