Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2009 / 10 / Metalúrgicos da Embraer ameaçam greve por aumento salarial

Metalúrgicos da Embraer ameaçam greve por aumento salarial

por Stella Fontes publicado 01/10/2009 13h14, última modificação 01/10/2009 13h15 © 2009 Thomson Reuters. All rights reserved

São Paulo - Cerca de 3,5 mil metalúrgicos da fabricante de aeronaves Embraer paralisaram a produção por duas horas na manhã desta quinta-feira (1º), de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

Os trabalhadores aprovaram ainda aviso de greve, reivindicando que a companhia abra negociações em no máximo 48 horas dentro da campanha salarial e pedindo aumento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Caso a companhia não inicie as negociações, os trabalhadores poderão entrar em greve por tempo indeterminado.

De acordo com nota do sindicato, a Embraer anunciou, em 30 de setembro, pagamento de PRL de R$ 235 acrescidos de 0,10% sobre o salário-base.

"O valor, a ser pago em 30 de outubro, refere-se ao primeiro semestre de 2009 e é o menor da região. Esse também é o menor valor pago pela Embraer nos últimos anos", segundo o sindicato. No ano passado, conforme a nota, a PLR foi de cerca de R$ 1,1 mil  mais índice varíavel.

O sindicato também alega que a jornada de trabalho da Embraer é uma das maiores da região.

Em fevereiro, a Embraer anunciou o corte de mais de 4,2 mil empregados, ou 20% do quadro de funcionários, devido ao impacto da crise global no setor aéreo.

"Isto é uma afronta aos traballhadores, que têm sido pressionados a manter um alto ritmo de produção para compensar a demissão dos 4.273 companheiros", afirmou em nota o vice-presidente do sindicato, Herbert Claros da Silva.

Pela campanha salarial, os trabalhadores reivindicam 14,65% de reajuste salarial e antecipação da data-base de novembro para setembro. A Embraer, conforme o sindicato, ofereceu 4,44% de reposição da inflação, "sem direito a aumento real".

Procurada, a Embraer não tinha representantes imediatamente disponíveis para comentar o tema.

As ações da fabricante de aeronaves exibiam queda de 2,44%, a R$ 10 , às 11h15. O Ibovespa mostrava oscilação negativa de 0,56%.

Fornecedores

Metalúrgicos da Sobraer, Sopeçaero e Peçola --fornecedoras da Embraer-- entraram no sétimo dia de greve nesta quinta-feira, exigindo início de negociação salarial. No período da tarde, o sindicato deve se reunir com as empresas para nova rodada de negociação. A entidade já entrou com pedido de dissídio coletivo e uma audiência de conciliação foi marcada para o próximo dia 8.

As três empresas, do grupo belga Sonaca, empregam 250 metalúrgicos e produzem peças de fuselagem estrutural de aviões.

Fonte: Reuters

registrado em: ,