Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2009 / 10 / Após 14 dias de greve, Fenaban apresenta proposta com aumento real

Após 14 dias de greve, Fenaban apresenta proposta com aumento real

por Redação da RBA publicado , última modificação 07/10/2009 22h20

(Foto: Mauricio Morais/Seeb-SP)

Após 14 dias em greve, a federação dos bancos (Fenaban) apresentou uma proposta de reajuste de 6%, sendo 1,5 ponto percentual de aumento real, e uma PLR com teto de distribuição em 15%, com pagamento feito independentemente da variação do crescimento do lucro. Também houve uma proposta para a licença maternidade, para seis meses.

Agora os bancários de todo o país devem fazer assembleias para saber se aceitam ou não a proposta, acabando com a paralisação. “Só levaríamos à assembléia proposta que assim como nos cinco anos anteriores representasse aumento real de salários e ainda uma PLR mais justa. Agora os trabalhadores podem decidir nas assembléias se aceitam a proposta ou se mantém a greve.”, disse Luiz Cláudio Marcolino, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e membro do Comando Nacional dos Bancários.

O Comando Nacional dos Bancários após a negociação orienta pela aceitação da proposta. Ainda nesta quarta-feira (7) deverá ocorrer a reunião com o Banco do Brasil para tratar de questões específicas. As questões da Caixa Federal serão debatidas nesta quinta.

14º dia de greve

Nesta quarta, foram 7.222 agências paradas nos 26 estados do país e no Distrito federal, segundo levantamento da Contraf-CUT com base nos dados enviados pelos 134 sindicatos ligados ao Comando Nacional.

Em São Paulo, 27 mil bancários foram abrangidos pela paralisação em 724 locais de trabalho. Além das agências bancárias, ficaram fechados os prédios administrativos, de acordo com o sindicato de São Paulo, da Nossa Caixa (Rua do Tesouro, XV de Novembro, Líbero e Álvares Penteado e Praça da República), Unibanco (Boa Vista) Banco do Brasil (Complexo São João, Verbo Divino, Ipiranga, Compe e Gecex III) e Caixa Econômica Federal (São Joaquim, Brás, Sé e Rirop).

A proposta

Confira o resultado da negocição

  • Reajuste – 6%, o que representa aumento real de 1,5 ponto percentual
  • PLR - A proposta apresentada prevê PLR de 90% do salário mais R$ 1.024 com teto de R$ 6.680. O valor pode ser majorado até que seja distribuído pelo menos 5% ou até 15% do lucro líquido, podendo chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 14.696.
  • Adicional à PLR – Pagamento de 2% do lucro líquido do banco dividido de forma linear (partes iguais) entre os bancários com teto de R$ 2.100.
  • Auxílio-Refeição – R$ 16,88
  • Cesta-Alimentação – R$ 289,31
  • 13° Cesta Alimentação – R$ 289,31
  • Auxílio – Creche/Babá - R$ 207,95
  • Licença Maternidade – Seis meses

Com informações do Seeb-SP