Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2009 / 09 / Trabalhadores dos Correios avaliam contraproposta da empresa

Trabalhadores dos Correios avaliam contraproposta da empresa

Paralisação acontece em 21 estados. Proposta é de reposição de perdas desde 1994, o que significa 41%
por Redação publicado , última modificação 17/09/2009 16h57
Paralisação acontece em 21 estados. Proposta é de reposição de perdas desde 1994, o que significa 41%

Para avaliar a contraproposta salarial da Empresa Brasileira de Correios e Telégrados (ECT), trabalhadores promovem assembleias em todo o país nesta quinta-feira (17). A estatal aceita reajuste salarial de 9% em acordo bianual e aumento o valor do vale-refeição de R$ 20 para R$ 21,50 por dia.

A paralisação por tempo indeterminado desde quarta-feira (16) acontece em 21 estados. Eles reivindicam reajuste salarial de 41,03% e aumento de R$ 300 no piso da categoria, além de redução da jornada de trabalho e contratação de mais servidores por concurso.

Serviços de entrega rápida – Sedex Hoje, Disque Coleta, Sedex 10 – permanecem suspensos. Todas as agências etão abertas segundo a ECT, enquanto o Sindicato dos Trabalhadores de Correios e Telégrafos (Sintect) afirma que 80% dos servidores da área operacional aderiram ao movimento.

Cuidados

Faturas e boletos bancários enviados pelo correio merecem atenção especial. O consumidor deve entrar em contato com a empresa que remeteu o documento para buscar uma alternativa de pagamento. Segundo o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), José Geraldo Tardin, a greve não isenta o consumidor de quitar o débito na data.

“O que ele (consumidor) deve fazer é ligar para a empresa, anotar o nome do atendente, do protocolo, a data e a hora que está ligando e solicitar que a empresa disponibilize uma segunda opção de pagamento”, orientou, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Com informações da Agência Brasil

registrado em: , , ,