Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2016 / 02 / OMS declara emergência mundial em relação ao Zika vírus

alerta máximo

OMS declara emergência mundial em relação ao Zika vírus

Zika foi identificado em 24 países na América, e sua forma de proliferação se dá através da picada do mosquito 'Aedes aegypti', também transmissor dos vírus da dengue e chikungunya
por Redação RBA publicado 01/02/2016 18:58, última modificação 01/02/2016 19:12
Zika foi identificado em 24 países na América, e sua forma de proliferação se dá através da picada do mosquito 'Aedes aegypti', também transmissor dos vírus da dengue e chikungunya
memória/ebc
margaret_chan_oms.jpg

Margaret Chan: "Aglomerados de microcefalia e outras complicações neurológicas constituem uma ameaça"

São Paulo – A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou situação de emergência em saúde pública de interesse internacional em relação ao Zika vírus. O anuncio foi realizado em entrevista coletiva hoje (1º), após reunião em Genebra, na Suíça, e visa a organizar o enfrentamento à doença em todas as nações. A organização expediu alerta similar, na última vez, em 2014, em resposta à epidemia de Ebola na África.

O alerta máximo é baseado na possível ligação entre o vírus e casos de malformação congênita em fetos. No fim de 2015, o Brasil registrou aumento expressivo em casos de microcefalia, que coincidiu com a proliferação do Zika no país, contudo, ainda não foi comprovado o paralelo sugerido. “É preciso investigar e entender melhor a relação”, disse a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

A existência do Zika vírus é de conhecimento da comunidade médica há algumas décadas, porém, nunca havia sido comprovada correlação com síndromes neurológicas e malformação fetal. O Brasil analisa cerca de 3.400 casos de microcefalia que podem estar ligadas ao vírus. O aumento nos casos despertou as autoridades médicas do país, e agora, de todo o mundo. Em 2014, apenas 147 bebês foram registrados no país com a malformação.

“Depois de analisarmos os indícios, o comitê foi da opinião de que os aglomerados de microcefalia e outras complicações neurológicas constituem um evento extraordinário e uma ameaça à saúde pública para outras partes do mundo”, afirmou a diretora-geral para embasar a emergência internacional.

Não existe uma vacina para a doença que se manifesta, muitas vezes (80% dos casos) de forma silenciosa, sem sintomas. O Zika foi identificado em 24 países na América e sua forma de proliferação é através da picada do mosquito Aedes aegypti, também transmissor dos vírus da dengue e chikungunya.

Ainda não existe uma perspectiva da comunidade científica em comprovar a microcefalia ao Zika. O presidente do comitê da OMS, David L. Heymann, destacou que são necessários mais estudos, visto que o Zika, por si só, "não é uma condição clinicamente séria".

Viagens restritas

O comitê da OMS destacou que não existe necessidade de impor restrições de viagens ou comércio aos países afetados pelo Zika. Chan destacou que a urgência está em conter o mosquito Aedes aegypti, afirmando que o Brasil está tomando medidas para realizar esse combate.

Contudo, a OMS recomendou para que mulheres grávidas evitem viagens às áreas afetadas. Para as gestantes residentes dos países com casos da doença, o comitê pediu para que elas se protejam com "repelentes seguros" e "roupas longas".

Com agências