Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 10 / Diário Oficial traz MP que libera R$ 2,1 bi para ações contra a gripe A

Diário Oficial traz MP que libera R$ 2,1 bi para ações contra a gripe A

por Christina Machado publicado , última modificação 06/10/2009 12h19

Brasília - A edição desta terça-feira (6) do Diário Oficial da União traz publicada a medida provisória que libera R$ 2,1 bilhões para os ministérios da Saúde e dos Transportes. Os recursos serão empregados na compra de 73 milhões de doses da vacina contra a Influenza A (H1N1) – gripe A – e de equipamentos e material para o diagnóstico e o tratamento da doença.

Segundo o Ministério da Saúde, os recursos também serão investidos no aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na capacitação profissional e em pesquisas sobre a doença.

Dos 73 milhões de doses, 33 milhões serão fabricados pelo Instituto Butantan, em São Paulo. Os 40 milhões restantes serão adquiridos do Fundo Rotatório de Vacinas da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e de empresas privadas.

Entre os equipamentos a serem adquiridos constam kits de respiradores usados nas emergências para avaliar o agravamento de problemas respiratórios. As UTIs neonatais devem ser ampliadas para receber as grávidas, consideradas um dos grupos de risco. Nos estados, os incentivos servirão para ampliar as equipes médicas, a fim de evitar a sobrecarga nas unidades de saúde.

O Ministério da Saúde vai financiar cinco pesquisas sobre o comportamento do vírus Influenza H1N1. Um total de R$ 5 milhões será destinado a estudos sobre a efetividade do fosfato de osetalmivir na redução dos sintomas e na análise das mutações genéticas do vírus. Essas duas pesquisas deverão ficar prontas em um ano, de acordo com informações da pasta.

As outras três – sobre fatores de risco, transmissão, gravidade, mortalidade e validação do insumo produzido no país para o diagnóstico da doença – serão finalizadas até o fim do ano. De acordo com o ministério, a intenção é validar o produto fabricado no Brasil e nacionalizar a sua produção.

Fonte: Agência Brasil

 

registrado em: ,