Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 09 / OMS recomenda vacinas da gripe H1N1 para 2010

OMS recomenda vacinas da gripe H1N1 para 2010

Ainda é muito cedo para dizer se as vacinas do ano que vem deveriam ser de uma dose contendo os três vírus ou doses separadas para as gripes sazonal e pandêmica
por Jonathan Lynn publicado , última modificação 23/09/2009 19:19 © 2009 Thomson Reuters. All rights reserved
Comments
Ainda é muito cedo para dizer se as vacinas do ano que vem deveriam ser de uma dose contendo os três vírus ou doses separadas para as gripes sazonal e pandêmica

Genebra - A vacinação antigripal para a temporada de gripe de 2010 no Hemisfério Sul deveria conter também os vírus contra a atual pandemia do vírus H1N1, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (23).

Atualmente a OMS coordena a produção de vacinas contra a H1N1, conhecida como gripe suína, para a temporada de gripe deste ano no Hemisfério Norte, que começa em novembro e coincide com a chegada do inverno naquela parte do mundo.

Mas as primeiras orientações às autoridades de saúde e produtores de vacina foram que as vacinas devem conter o vírus H1N1, além de duas cepas de gripe sazonais que devem circular no ano que vem.

A OMS declarou que a gripe suína foi uma pandemia global em junho após ser detectada em abril.

"Surtos ocorreram mais tarde em todas as regiões do mundo, e em julho a H1N1 era o vírus de gripe predominante circulando em muito países das Américas, da Ásia, da Europa e da Oceania", disse o organismo em seu site oficial.

A OMS também disse ser muito cedo para dizer se as vacinas do ano que vem deveriam ser de uma dose contendo os três vírus ou doses separadas para as gripes sazonal e pandêmica.

O organismo prometeu dar maiores orientações após a reunião de seu Grupo de Especialistas de Conselho Estratégico no final de outubro, mas adiantou que o vírus pandêmico H1N1 está se tornando muito mais comum que as cepas de H1N1 sazonal.

Segundo a OMS a gripe H1N1 pode afetar até um terço das cerca de sete bilhões de pessoas no mundo, e que na maioria dos casos registrados os sintomas foram leves.

Fonte:

registrado em: , ,
comentários do blog alimentados pelo Disqus