Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 08 / Estudo associa gengivas doentes a risco cardiovascular

Estudo associa gengivas doentes a risco cardiovascular

“Nem todo mundo que tem gengiva inflamada desenvolve problema cardiovascular, mas se existe essa possibilidade, o melhor é cuidar da saúde bucal”, diz especialista
por Cida de Oliveira publicado , última modificação 05/08/2009 12h00
“Nem todo mundo que tem gengiva inflamada desenvolve problema cardiovascular, mas se existe essa possibilidade, o melhor é cuidar da saúde bucal”, diz especialista

Pesquisas relacionam a periodontite (antiga piorreia) a diabetes, doenças cardiovasculares, infecções pulmonares e até mesmo partos prematuros. Estudo inédito no Brasil confirma a relação. Físicos da Universidade de São Paulo (USP)  usaram uma nova técnica para medir, ao longo de um ano, a dosagem de partículas gordurosas no sangue de 40 pacientes com periodontite crônica.

Os autores sugerem que a inflamação que afeta gengivas, ossos e, em alguns casos, até os ligamentos que ajudam a sustentar a dentição pode quadruplicar as chances de aumento nas taxas de triglicérides, um tipo de gordura que ajuda a entupir vasos sanguíneos.

Ou seja, além de grande risco de perder os dentes a pessoa ainda está sujeita a ter infarto, derrame e outros problemas. O estudo foi publicado recentemente no “Journal of Periodontology”, uma das publicações mais prestigiadas sobre o assunto em todo o mundo.

Claudio Pannuti, professor de odontologia da USP e diretor da Sociedade Brasileira de Periodontologia, diz que embora a pesquisa não traga novidade em sua conclusão – novo é o método de avaliação utilizado – ela tem o mérito de reforçar a necessidade de cuidados. “É claro que nem todo mundo que tem gengiva inflamada vai desenvolver problema cardiovascular. Mas se existe essa possibilidade, por menor que seja, o melhor é cuidar da saúde bucal”, diz o especialista.

Segundo ele, a periodontite é uma doença inflamatória crônica, que afeta pessoas de todas as idades e, se não for tratada adequadamente, leva à perda dos tecidos que seguram os dentes. Entre as causas estão a placa bacteriana, formada quando a escovação não é bem feita, e também herança genética.

Fumo

Pannuti explica que estudos recentes mostram que o tabagismo desponta como importante causa. Até mesmo sua experiência diária no atendimento a pacientes no consultório confirma. “Quase todos os pacientes com periodontite são fumantes”, afirma.

Umas das explicações para o problema é que as substâncias presentes no cigarro, que viajam pela corrente sanguínea, chegam a todas as células do organismo, danificando-as. A doença deve ser tratada por especialistas em periodontia, que utilizam técnicas adequadas para limpeza profunda das gengivas.

registrado em: