Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 07 / Município da periferia do Rio ganha centro de referência no atendimento a mulheres

Município da periferia do Rio ganha centro de referência no atendimento a mulheres

Itaborí conta agora com um centro de referência que prestará consultoria jurídica, tratamento social e terapêutico para mulheres vítimas de violência
por Thaís Leitão publicado , última modificação 17/07/2009 16h20
Itaborí conta agora com um centro de referência que prestará consultoria jurídica, tratamento social e terapêutico para mulheres vítimas de violência

Rio de Janeiro - As mulheres vítimas de violência doméstica no município de Itaboraí, região metropolitana do Rio de Janeiro, vão contar a partir de agora com um centro de referência específico para atendê-las. A unidade é a primeira da cidade e vai funcionar em um imóvel adaptado para oferecer assistência jurídica gratuita, tratamento social e terapêutico com profissionais de diversas áreas. O evento de inauguração do Centro de Referência, na manhã dessa sexta-feira (17), contou com a participação da ministra Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM).

Segundo a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Itaboraí atende em média 30 mulheres por mês vítimas de violência dentro de suas próprias casas. A secretária de Desenvolvimento Social, Rosália Soares, acredita que esse número vá aumentar com a iniciativa.

“Agora muitas mulheres que ficavam caladas e não tinham coragem de pedir socorro vão nos procurar. Uma estrutura como esta é fundamental para romper o ciclo de violência a que são submetidas e ajudá-las a resgatar sua autoestima”, afirmou.

De acordo com dados da SPM existem em todo o estado do Rio 24 centros de referência que prestam atendimento a mulheres que se encontrem nessa situação. A secretaria também disponibiliza a Central de Atendimento à Mulher, por meio do telefone 180. O serviço é gratuito e tem cobertura nacional e oferece orientações sobre a luta contra a violência contra a mulher.

Além disso, as mulheres podem usar o número para denunciar casos de violência doméstica. A Central de Atendimento à Mulher é uma parceria da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres com o Disque Denúncia do Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Brasil