Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2009 / 06 / Ministério da Saúde busca corrente de doadores de sangue

Ministério da Saúde busca corrente de doadores de sangue

Com o slogan "Entre para a corrente sanguínea. Doe e convide alguém a doar", a campanha foca na ampliação e na frequência do ato; 3,1 milhões de pessoas foram doadoras em 2008
por Evelyn Pedrozo, da RBA publicado , última modificação 10/06/2009 10h25
Com o slogan "Entre para a corrente sanguínea. Doe e convide alguém a doar", a campanha foca na ampliação e na frequência do ato; 3,1 milhões de pessoas foram doadoras em 2008

O Ministério da Saúde acaba de lançar a Campanha Nacional de Doação de Sangue com a proposta de transformar a doação em um hábito de vida saudável. Com o slogan “Entre para a Corrente Sanguínea. Doe e convide alguém a doar”, o objetivo é, além de aumentar o número de doadores, torná-los freqüentes.

A campanha vai buscar os públicos de blogs, Orkut, Twitter, MSN e Google como ferramenta de comunicação para sensibilizar os possíveis doadores. Também serão veiculados filmes na TV aberta e nos cinemas, além dos spots em 27 rádios das capitais e em praças do interior do país. 

Segundo o ministério, cerca de 1,8% da população brasileira já doou sangue nos últimos cinco anos. Os homens são responsáveis por mais de 70% das doações e os jovens entre 18 e 29 anos correspondem a 50%. Em 2008, foram registrados 3,1 milhões de doações de sangue. 

Após a doação, o sangue é submetido a nove tipos de exames, capazes de identificar doenças como a aids, sífilis, doença de Chagas e hepatites. O doador também passa por um exame clínico que inclui uma entrevista. Nela, é verificado se o doador esteve em situações de risco acrescido, como ser usuário de drogas ou ter praticado sexo sem proteção. Se isso aconteceu, ele é automaticamente descartado como doador. Todos os hemocentros prestam orientações sobre os cuidados antes que o sangue seja doado.  

Quem pode doar

O doador de sangue deve ser saudável, ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos e não ter sido contaminado por doença transmissível. A recomendação do Ministério da Saúde é que os homens doem a cada três meses e as mulheres, a cada quatro meses, devido aos intervalos do ciclo menstrual.

Cada doador contribui com 450 mililitros de sangue, que é colocado numa bolsa plástica lacrada para evitar a contaminação e armazenado em geladeiras especiais, onde a temperatura é regulada. Se o resultado dos exames for negativo para todas as doenças, o sangue pode ser usado pelos próximos trinta dias, quando vence a validade. Mas, a utilização é tão requisitada que dificilmente fica guardado por mais de uma semana.

registrado em: