Você está aqui: Página Inicial / Revista do Brasil / Edição 35 / Que diabo é esse negócio?
Número 35, Maio 2009

em transe

Que diabo é esse negócio?

O Twitter ultrapassou a casa dos 10 milhões de visitantes
por Rodrigo Savazoni publicado , última modificação 02/03/2018 13h20
O Twitter ultrapassou a casa dos 10 milhões de visitantes
divulgação
Jack Dorsey

4º lugar - Em janeiro deste ano, o jornal britânico The Times publicou o ranking das “regiões twitteiras”. São Paulo já é a quarta localidade com o maior número de usuários da ferramenta, atrás apenas de Londres, Nova York e São Francisco

O serviço de rede social Twitter completou três anos em março, mas bombou mesmo a partir do ano passado. Embora ainda bastante concentrado nos Estados Unidos, já começa a se mundializar. Impressiona a velocidade de seu crescimento – apenas no ano passado o número de cadastrados saltou 1.000% – e do surgimento de novas funcionalidades e lógicas de uso geradas pelos twitters, como são chamados seus usuários.

No Brasil, de acordo com a pesquisadora de redes sociais Raquel Recuero, o Twitter ainda pode ser considerado um serviço de nicho. Ou seja, atinge um público muito específico, que ela chama de heavy users (numa tradução livre, “usuários neuróticos”, entre os quais me incluo). Após uma pesquisa quantitativa com mais de 900 usuários da rede, Raquel concluiu que dois tipos de aplicação se destacam no Twitter: “O uso para conversação e o uso para informação”. Ou seja, as pessoas procuram a ferramenta para aprofundar laços sociais, mas também para obter informações que possam contribuir para sua vida.

Isso é resultado da simplicidade do Twitter, que vem sendo chamado de ferramenta de microblogging. No princípio, parece algo estúpido, pois serve para que você escreva, em até 140 caracteres, o que está fazendo naquele momento. Justamente por ser tão simples, o Twitter acaba assumindo várias formas, cada um pode inventar a sua. Por vezes, parece com um mensageiro instantâneo, mas é mais do que isso. A diferença consiste na organização de comunidades em torno do seu perfil, de duas maneiras: você pode seguir pessoas, ou seja, selecionar com quais quer estar conectado permanentemente e receber informações sobre elas em tempo real; e pode ser seguido por pessoas, ou seja, ser escolhido pelos amigos ou por gente que gosta do seu trabalho – e estar em permanente contato com eles toda vez que você atualizar sua página.

Em vários países a ferramenta é bastante utilizada a partir de aparelhos celulares, para leitura ou envio das mensagens. Isso ocorre porque uma sentença do Twitter é muito parecida com o dos torpedos. O blogueiro Cris Dias, autor de um ranking dos twitters mais populares, define o Twitter como “o fruto do amor proibido entre o MSN e o scrap do Orkut”. Para ele, é a famosa ferramenta certa na hora certa: “É fácil de usar, pode ser acessado de qualquer lugar, principalmente do celular, e não requer muito esforço ou dedicação. Você gasta tanto tempo nele quanto quiser”.

Por todos esses fatores, o brinquedo criado por Evan Williams (também criador do Blogger, a popular ferramenta de gestão de blogs comprada pelo Google), Biz Stone e Jack Dorsey começa a enfrentar o preço da popularidade, como ter de fazer investimentos pesados em infraestrutura para comportar o número crescente de usuários.
Se você ainda não está dentro, é hora de experimentar.

Os mais mais
Cris Dias faz a lista dos usuários de Twitter mais populares do Brasil. O levantamento compila o número de seguidores de determinadas personalidades. Para ele, esse ranking é apenas uma régua. “Pode significar que você é uma celebridade fora do Twitter (como no caso do pessoal do CQC), que escreve coisas interessantes ou apenas está ativamente atrás de novos leitores. Ou todas essas coisas ao mesmo tempo”:

1. Marcelo Tas
29.204 (twitter.com/marcelotas)

2. Edney Souza
21.694 (twitter.com/interney)

3. Rafinha Bastos
18.189 (twitter.com/rafinhabastos) 

4. Tessalia
15.192 (twitter.com/Twittess)

5. Danilo Gentili
14.780 (twitter.com/danilogentili)

6. Kibe Loco
13.930 (twitter.com/kibeloco)

7. Júlio Yam
12.890 (twitter.com/julioyam)

8. Twitteiro Profissa
11.291 (twitter.com/Twitteiro)

9. Carlos Merigo
9.814 (twitter.com/cmerigo)

10. Rosana Hermann
9.112 (twitter.com/rosana)

A lista completa está em 
www.crisdias.com/ranking-twitter-brasil

Para entender o  Twitter
Como toda comunidade, o Twitter desenvolveu sua “novilíngua”, conjunto de expressões que só fazem 
sentido para quem está no jogo. Um dicionário wiki, de produção colaborativa, foi criado no endereço 
http://twictionary.pbwiki.com (em inglês). O site Twitter Brasil fez a tradução de alguns dos termos e eu 
escolhi os que considero mais importantes para quem está começando. Se quiser ver tudo, 
acesse www.twitterbrasil.org.

# – o símbolo # (também chamado de hashtag) antes de uma palavra serve para identificar 
o assunto do tweet.

@ – usa-se antes do nome de algum usuário para direcionar a mensagem a ele ou para se referir a ele.

baleiar – verbo criado a partir das sucessivas vezes em que o Twitter saía do ar e no lugar aparecia 
a imagem de uma baleia. Sinônimo aproximado de “sair do ar”.

Fail Whale – baleia simpática que costuma aparecer quando o Twitter sai do ar.

follow – “seguir” em inglês.

follower – termo em inglês para “seguidor”, ou seja, todos os contatos que acompanham 
as atualizações de alguém.

following – termo para “seguindo”, ou seja, todos os contatos que são acompanhados por alguém.

RT (reweet) – twittar conteúdo postado por outros usuários. (Outras variações: ret., retwitt).

tweet ou twittada – nome dado a cada mensagem postada no Twitter.

twittar – verbo, ação ou efeito de postar alguma coisa no Twitter.

twitteiro – usuário do Twitter.

twitterholic – viciado em Twitter.

registrado em: ,